domingo, 24 de março de 2013

Saiu na Imprensa...


Seios nus na internet — e a muçulmana é condenada à morte por clérigo

Ela se chama Amina, tem 19 anos de idade, nasceu e vive na Tunísia, país que, teoricamente, tornou-se uma democracia após a chamada “Primavera Árabe” que derrubou a ditadura do eterno presidente Zine el-Abidine Ben AliAmina, em janeiro de 2011.
 
Mas Amina cometeu um pecado mortal em uma sociedade islâmica — e por essa razão foi condenada à morte por um sacerdote islâmico, enquanto a família tomou suas providências: rapidamente internou-a em uma instituição psiquiátrica em Túnis, capital do país.

O pecado: a jovem postou fotos suas de seios de fora na web page que ela criou, na Tunísia, para o grupo feminista radical ucraniano Femen, constituído por ativistas que se desnudam em público por diferentes causas, sempre protestando contra algo.
 
Uma das fotos mostra Amina lendo e fumando um cigarro, tendo no peito a inscrição em árabe da frase “meu corpo pertence a mim e não é a fonte da honra de ninguém”. Em outra foto, ela aparece levantando um dedo médio para a câmera com a inscrição: “Foda-se a moral de vocês”.
 A reação na Tunísia veio pela boca espumando de ódio do pregador muçulmano salafista Almi Adel, segundo o qual a jovem deveria ser “apedrejada até a morte”, uma vez que sua ação poderia causar “epidemias e desastres” e “poderia ser contagiosa e sugerir ideias a outras mulheres”. Ocorre que Almi Adel acumula as funções de clérigo islâmico com a direção de uma Comissão para a Promoção da Virtude e a Prevenção do Vício na Tunísia — órgão oficial com título semelhante aos existentes nos regimes totalitários do Irã e da Arábia Saudida. 
Do ponto de vista religioso, ele lançou uma fatwa contra a moça — o que significa que os fiéis estão autorizados a matá-la. Do ponto de vista laico, as coisas não estão claras, mas a mídia tunisiana diz que, conforme a legislação dessa “democracia” árabe, ela poderia ser condenada a até dois anos de prisão.
 A notícia de que a jovem foi internada pela família num hospital psiquiátrico da capital da Tunísia chegou ao QG do grupo Femen em Paris e foi divulgada por sua líder, Inna Shevchenko.
.........................
Fonte:  http://omundocomoelee.blogspot.com.br . In veja.abril.com.b( Do Blog de Ricardo Setti).

Nenhum comentário:

Google+ Followers