terça-feira, 26 de março de 2013

"Penitentes" de AURORA realizam o primeiro Terço da Semana Santa

Por José Cícero
Penitentes à noite nas ruas do bairro Araçá de Aurora-CE.

Pertencentes à Ordem da Santa Cruz fundada na Itália no século XII por São Francisco; os adeptos da chamada igreja rural laica e primitiva é desde muito em Aurora, conhecidos por uma expressão quase mitológica de "Penitentes".

Em pleno período da 'semana santa' onde segundo a tradição judaico-cristã  começa o sofrimento e martírio de Cristo. Em AURORA um grupo de homens simples há anos  seguem à risca a penitência da dor e sofrimento, literalmente na própria carne. 
Conforme eles, com o objetivo de se redimirem perante os pecados do mundo e, ainda  aplacar as agruras de Jesus diante do seu Calvário. 
Mesmo discretos nas suas estranhas ritualísticas religiosas, eles são bastantes conhecidos. Fazendo parte por isso mesmo do próprio imaginário popular das pessoas.  São conhecidos como seres lendários e quase mitológicos. Mas não pela identidade individual dos seus membros, porém pela existência  das suas manifestações, que em Aurora remontam(segundo dizem) a segunda metade do século XIX  que ganhara força com o apoio do conhecido padre Ibiapina. Tempos depois, como o decisivo  apoio do próprio padre Cícero e, em seguida Frei Damião. 
"Chagas" manchas de sangue na parede
São portanto, conhecidos simplesmente pela velha alcunha de "Penitentes". Homens sertanejos que em pleno século XXI  ainda conseguem encarnar  no corpo e na alma uma crença  inusitada e realmente estranha para os padrões da chamada pós-modernidade. Detentores de uma fé inabalável e incondicional ante o sagrado, por isso mesmo revestida de muito entrega e doação espiritual. Prática que, segundo relatos históricos, é originária da idade média nos mosteiros do continente Europeu. 
Noutros tempos, por sinal a região do Cariri era pródiga  nestes expedientes, quando  era considerada um dos municípios com o maior número de grupos em  plena atividades, com quase trinta no total. Hoje no entanto, a duras penas, só restam dois. Sendo que apenas um encontra-se em atividade, ou seja, se reunindo  com certa regularidade.  Todavia, correndo sério risco de acabar para sempre, visto que, conforme o próprio Decurião - chefe do grupo, o Sr. Geraldo Caboclo do sítio Salgadinho "os jovens de hoje não se interessam mais pela irmandade nem pelos 'Alertai' que praticamos". 
No passado, afirmou  ele, "a coisa era diferente, a gente tinha era que escolher, pelos procedimentos, quem devia entrar no grupo". "Agora a juventude só quer mesmo saber é de festa, parece que tem até vergonha de rezar e de se doar para Deus", completou.
Atualmente, a maioria dos que ainda  integram o grupo de Penintes de Aurora beiram a média de idade dos setenta anos. Muitos deles pela idade e a saúde complemetida nao têm mais como acompanhar o trabalho do grupo.
Pertencentes a chamada Ordem da Santa Cruz de Aurora, os penitentes se dizem ainda estarem psicologicamnete ligados a chamada igreja rural laica, cujo ritual no geral difere e muito, da prática realizada pela igreja católica oficial. Mesmo  que todos eles asssegurem ser "Católicos apostólicos romanos"  e, que também reafirmam "devoção e obediência ao papa, ao Bispo e ao padre".  
Trata-se, portanto, de uma antiga tradição religiosa que por muito tempo marcou profundamente à história e a vida do povo sertanejo e nordestino. E que infelizmente agora, corre sério risco de desaparecer para sempre. Uma manifestação hermética e popular que compõem  o cenário da nossa cultura regional.

Terço da Semana Santa no bairro Araçá:
Na noite da última segunda-feira(25) o grupo dos Penitentes aurorenses participou da "reza", realizando a celebração(alertai) ou "terço da semana santa"  que todos os anos acontecem na residência do casal de aposentados o Sr. José Serafim e Dona Maria Gomes residentes no bairro Araçá. 
Ambos se cosideram admiradores das 'rezas e dos benditos' dos penitentes desde que eram meninos e moravam na zona rural. Quando os trabalhos dos penitentes eram visto como muito respeito e devoção sincera.
Tendo sido iniciado, como é comum,  após  às 23 horas  o terço foi concluido depois de meia-noite.
Marcado por uma série de cântigos e benditos antigos numa linguagem  quase incompreensível, os penitentes ainda chama, a atenção de muita gente. Algumas pessoas se dizem ter até medo dos mesmos.
Na noite de segunda, a parte mais forte da celebração, ficou por conta do ritual de autoflagelação penitencial(fotos) que teve início a partir da meia noite. Como preparativos, todas as portas e janelas da residência foram fechadas e vedadas com panos e toalhas. Em seguida, quatro dos participantes se ofereceram para o sacrifício. 
As manchas do sangue espargidas pelo ato, chamdas de "chagas de Cristo" deverão permanecer nas paredes da sala por no mínimo, sete dias, segundoo afirmou o casal o próprio casal. 
Foi por assim dizer, a mais pura expressão da fé levada as  suas últimas consequências. Quem sabe, a força  incomensurável e quase incompreensível da tradição religiosa leiga em favor da eterna  luta do sagrado contra o profano. Uma crença religiosa que simplesmente não podemos explicar por meio de palavras. 
Uma cena forte, mas que a todos sugere refletir um pouco mais acerca do próprio gênero humano em relação à divindade  e  o imponderável da vida. 
Por fim, como se diz, simplesmente, é preciso ver para acreditar...
......................................
P/ a Redação do Blog de Aurora.
Fotos: José Cícero
.........................
LEIA MAIS EM:
e no Facebook

Nenhum comentário:

Google+ Followers