domingo, 25 de setembro de 2011

CARIRI CANGAÇO encanta noite em Juazeiro do Norte

Penúltima palestra do CARIRI CANGAÇO aconteceu em Juazeiro

José Cícero ladeado por Manoel Severo e a Secretária Daniella Esmeraldo

Dep. Inácio Loiola discursa durante homenagem no Cariri Cangaço 2011 em JN




Na noite deste último sábado(24) às 20h aconteceu no Memorial Padre Cícero na cidade de Juazeiro do Norte o penúltimo evento do Cariri Cangaço 2011. Ocasião em que a Câmara de vereadores realizou sessão solene de concessão do título honorário de cidadão juazeirense ao deputado alagoano Inácio de Loiola Damasceno. A sessão foi presidida pelo presidente da casa, o vereador José de Amélia Júnior que no seu pronunciamento ressaltou o papel de Loiola na projeção do nome da cidade ciceropolitana através das suas pesquisas e defesa que faz da figura histórica do padre Cícero Romão Batista, assim como das potencialidades econômicas e culturais daquele município. O título também foi saudado pelo curador do Cariri Cangaço Manoel Severo que subiu a tribuna para agradecer o legislativo pela decisão e ao parlamentar por sua contribuição ao evento e as pesquisas nas terras alagoanas.

Num discurso dos mais bem elaborados e eloqüentes o deputado Inácio de Loiola, além de agradecer aos vereadores juazeirenses pelo tributo, também fez questão de expressar publicamente em sua fala, a grande importância do padre Cícero e do próprio Juazeiro para o Nordeste. “Padre Cícero foi um salvador de almas e semeador de bondade e sabedoria. A igreja deve, portanto a este homem, além da reabilitação a canonização”, enfatizou Inácio em seu pronunciamento.

De forma incisiva, externou ainda: “Melhor do que as palavras, fala o coração e aqui fala um coração sertanejo”, disse com emoção o parlamentar das Alagoas. Ainda, prosseguiu ele na sua oratória fazendo referência direta ao título: “...Somos agora de direito, o que já somos de fato: conterrâneos.” Sendo neste instante ovacionado pelos presentes. Ainda, sobre o santo padre, emendou:“a vida só é importante quando dedicada a fazer o bem. E o padre do Juazeiro fez isso a vida inteira”. Citou igualmente o pioneirismo do padre em relação ao seus preceitos acerca da defesa da natureza e do meio ambiente. Por fim, encerrou o seu pronunciamento parafraseando um poeta da sua terra: “Quero morrer como nasci: brasileiro, sertanejo, nordestino, Piranhense, alagoano e agora - juazeirense...” Foi fortemente aplaudido pela platéia.

Palestra do deputado Inácio de Loiola:

Em seguida, o homenageado que também é historiador e pesquisador do cangaço foi convidado novamente à tribuna para proferi palestra na penúltima noite do CC; sob o título - “Lampião, as volante e o mito” tendo a mesa sido formada pelos debatedores: O escritor Alcindo Costa de Poço Redondo-SE, o historiador Daniel Walquer de Juazeiro do Norte-CE, o secretário de cultura de Aurora-CE José Cícero, tendo como mediadora a secretária de Cultura do Crato-CE Daniella Esmeraldo. Com algumas intervenções do público, a exemplo do escritor Antonio Amaury, do cineasta Aderbal Nogueira, dos pesquisadores Ivanildo Silveira, Múcio Procópio dentre outros.

Uma comitiva formada por familiares e amigos do deputado Inácio Loiola, como também autoridades alagoanas esteve presente a sessão. Dentre as quais a esposa do parlamentar, a vice-prefeita de Piranhas-AL, o prefeito do município de Marechal Deodora-AL, o desembargador de Alagoas Dr. Washington Luiz, o secretário de cultura de Piranhas-AL Jairo Luiz, dentre outros. O prefeito de Juazeiro Manoel Santana esteve representado na ocasião pelo seu secretário de cultura e cantor Flávio Carneirinho. Logo depois, a coordenação geral do CC ofereceu um jantar no Hotel Paságada localizado na serra do Crato oportunidade onde o secretário José Cícero representando o prefeito de Aurora Adailton Macedo, agradeceu e se despediu de todos os pesquisadores visitantes que estiveram igualmente abrilhantando o evento aurorense na sua II edição 2011.

A solenidade:

Foi uma bela solenidade com um intenso sabor de saudade. Por assim dizer, fragmentos de uma magna camaradagem que durou praticamente uma semana inteira de andanças pelo solo sagrado do Cariri cearense. Passos na caatinga de cangaceiros e cangaceiras do conhecimento em busca quem sabe, do elo perdido na ânsia de lançar nova luz e novo olhar naquele que já se configura como o maior fenômeno sociológico dos sertões – o cangaço.

Uma confraria de grandes amigos e irmãos ligados fortemente como que pelos laços consangüíneos e inquebrantáveis de uma história que não quer calar, chamada cangaço e de uma saga apelidada de sertão. Uma luta sem fim. Um mergulho no universo quase indecifrável do oco do mundo. Protagonizada por uma incansável comitiva de entusiastas do conhecimento nordestino que visitara agora pela terceira vez(como se fosse a primeira) cerca de sete municípios caririenses(Crato, Barro, AURORA, Missão Velha, Barbalha, Porteiras e Juazeiro do Norte), numa série de seminários sobre os mais diversos temas sempre focados na temática sertaneja – tendo como pano de fundo, o cangaço nordestino, sob o título geral: da insurreição a sedição. Um ciclo de debates e de palestras que muito ajudará aos caririenses a melhor compreender parte importante da sua história em particular e do Nordeste em geral. De modo que se tivéssemos como sintetizar o CC 2011 numa única frase – esta seria inegavelmente: Empreitada de sucesso e entusiasmo!

O Cariri Cangaço - Encerramento:

Sem dúvida mais um evento primoroso, algo marcante para toda a região do Cariri coordenado magnificamente pelo seu curador – o inteligente e tenaz pesquisador do cangaço – Manoel Severo ao lado da sua esposa a competente secretária de cultura do ‘Cratinho de açúcar’ – Daniella Esmeraldo. Um acontecimento que, pela sua grandeza de objetivo sociocultural, artístico, histórico, científico e filosófico deveria despertar muito mais a opinião pública, os políticos, as universidades, o estudantes, os educandários, a imprensa e, notadamente, os que se dizem formadores de opinião de toda a região sul caririense.
Portanto, há que agradecermos como de resto, aos que tiveram esta visão um tanto pedagógica e decidiram apoiar o Cariri Cangaço que agora em sua 3ª edição, promoveu literalmente o reencontro do povo do Cariri e do Nordeste com sua própria história.
Durante o evento de Juazeiro, ainda no saguão de entrada do memorial foi oferecido um coquetel a todos os presentes.

O encerramento do CC 2011 aconteceu no auditório do hotel Pasárgada no Crato com palestra de Múcio Procópio: “A musicalidade Nordestina.
Para os que gostam de um bom livro, o CC trouxe de volta a "latada cultural" com vários lançamentos, obras inéditas e também grandes raridades.

................................
Da Redação do Blog de Aurora e da Seculte.

Nenhum comentário:

Google+ Followers