segunda-feira, 2 de maio de 2011

O que deve está por trás do assassinato de Bin Laden?

Por José CíceroDepois do absoluto desserviço e de toda falta de criatividade demonstrada recentemente pela imprensa brasileira e da mídia mundial por excelência, durante a cobertura do casamento do príncipe herdeiro da coroa britânica... Amanhecemos esta segunda-feira ( 2 de maio) como espectadores de mais um ‘shownalismo’ planetário. Destes enfeitados nos seus mínimos detalhes, por conseguinte, repleto de segundas intenções. Produzido justamente para não informar e não fomentar reflexões. Razão pela qual é preciso lê-lo com esforço nas suas entrelinhas...
Desta feita dando conta do assassinato pela tropa de elite norte-americana do mega terrorista Bin Laden há muito escondido nas bibocas do Afeganistão. Mais uma nação, aliás, como tantas outras espalhadas pelo globo, que foi reduzida à pior das misérias humanas pelos Estados Unidos: Guerra, pobreza, ignorância e fome.
De novo agora e como sempre, a imprensa do Brasil e do mundo fala pela boca do Pentágono. Reproduzindo assim, ipsis literis, o que dizem o que escrevem e o que querem e o que pensam as agências de notícias internacionais, capitaneadas e teleguiadas pelos interesses do governo dos EUA.
Ora, qualquer um a grosso modo, poderá dizer sem mais reflexão: - Pôxa, mais o Bin Laden morto isso é bom! E eu o indagaria. - bom para quem e para que?
E mais: Querm são os verdadeiros interessados no assassinato do terrorista? Que outros interessem estarão por trás deste fato? Será que com o assassinato de Bin Laden, acaba-se também com o terrorismo no mundo? Evidente que não.
No entanto, a idéia(deles) é justamente esta. Fazer com as pessoas absorvam este episódio como um ato heróico e monumental promovido pelo governo ianque. Ou seja, como se os militares norte-americano estivessem prestando um grande serviço à humanidade? O que não é verdade.
E como perguntar não ofende. - Por que será que o Bin Laden fora assassinato justamente agora quando o presidente Barack Obama começava a ter sua (re)eleição seriamente ameaçada? Quando sua popularidade caía vertiginosamente, principalmente junto ao eleitorado que o consagrou nas urnas?

Confesso que não costumo acreditar em coincidência. Simplesmente, por uma razão muito óbvia; ela não existe. Ora, Bin Laden era um trunfo que os EUA tinham como certo não de agora. Seu paradeiro não era desconhecido de ninguém dentro das forças militares e do governo. Era tido apenas, como “Top secret”, isto é, segredo de estado.
De forma que o assassinato do temível terrorista e chefe supremo da Al Qaeda, no fundo representa mais uma farsa montada peça por peça, no sentido de enganar a opinião pública mundial. Com o propósito, esconder os verdadeiros interesses espúrios dos EUA no mundo. Desviando as atenções do planeta no tocante a sua política belicista e sua cruel ofensiva no mapa do Oriente Médio em busca de sugar à força, o petróleo daquela região.
Ainda fazer com que o mundo se esqueça das barbaridades que eles fizeram com o povo iraquiano, assim como o apoio continuado ofertado ainda hoje à Israel para a promoção do massacre que realiza contra os palestinos – o que se configura como um autêntico genocídio pós-moderno.
Bin Laden, assim como tantos outros assassinos e ditadores da história mundial foram ‘crias’ desta política expansionista, sangrenta, espoliativa e mentirosa que o governo norte-americano agora finge ser inimigo e combater.
Com o assassinato de Bin Laden ninguém em sã consciência será capaz de garantir que o terrorismo no mundo terminou. Até porque, o pior do terrorismo continua sendo aquele praticado pelo próprio governo dos EUA, isto é, o terrorismo de estado.
O assassinato de Bin Laden tem, portanto, um outro direcionamento que a mídia não está autorizada a nos dizer. Dentre os quais, amenizar o descontentamento por conta da crise financeira dentro e fora daquele país. Elevar a popularidade de Obama a tempo de não inviabilizar a sua reeleição e a sua posição de líder maior do imperialismo mundial. Como igualmente, recuperar os espaços perdidos para nações crescentes como a China.
Contudo, diria que Bin Laden e tantos outros que elegeram atos criminosos como o terrorismo à guisa de forma de luta, só estarão mortos efetivamente quando os EUA e seus aliados pararem com a velha política de exploração e desrespeito ao direito de autonomia dos povos pelo mundo afora. Quando pararem de se intrometerem na soberania de outras nações democráticas do planeta. Quando pararem de apoiar e financiar sub-repticiamente a miséria e a guerra, além de diversos governos antipopulares e ditaduras sanguinolentas.
Só depois disso é que Bin Laden deixará de atormentar o governo dos EUA e seus asseclas.. Porque de outro jeito, todo o resto é pura mentira sustentada por uma grande farsa distribuída em rede mundial diariamente nos nossos lares.
Com o assassinato de Bin Ladem “eles” ingenuamente desejam faturar e, passar um recado imperial ao mundo. Como quem nos dissesse: "Estão vendo? Nós somos os maiores. Cuidadores de vocês... Os verdadeiros donos do planeta".

Mas não acreditemos nessa bobagem. Pois é mais um mentira. Uma farsa para sermos mais didáticos.

A propósito: Achei realmente interessantíssimo o ar de satisfação, quase riso irônico estampado no rosto de Obama quando se dirigia às câmarasde TV para anunciar seu feito: sua ordem havia sido cumprida a contento: Osama Bin Laden estava assassinado. Poxa que legal, até que enfim o ganhador do Nobel da Paz começa a ultrapassar seu antecessor Bush. Aquele por Saddan e este por Osama.

(*) José Cícero

Aurora-CE

LEIA MAIS EM:



2 comentários:

José Mendes Pereira disse...

Gostei bastante das suas palavras, bem encaixadas e bem pensadas sobre a morte de Bin Laden.
Será que com a morte do terrorista, o terrorismo chegou ao fim, ou continuará com os seus filhotes.

José Mendes Pereira - Mossoró-RN

Dihelson Mendonça disse...

Olá, José Cícero,

Já respondi ao "nosso amigo" lá no Chapada do Araripe, que por achar que o vermelho.org é um site imenso, pessoas comuns como eu e você não teriam a capacidade para escrever um texto desses. Essa é a única explicação que posso encontrar pelo fato de ele ter pedido que coloque lá como fonte o vermelho.org, mas com o seu comentário, tudo ficou esclarecido.

Abraço,

Dihelson Mendonça

Google+ Followers