sexta-feira, 15 de outubro de 2010

Missão Velha e os seus casarões antigos

Por José Cícero*














Que tipo de passado estas residências de desenhos elegantes
mantêm guardado no seu concreto absoluto?
Que história de bravura ou de tragédias
tentam esconder nos seus frontispícios geométricos?
Antigos prédios edificados sob a coragem e os esforços
de homens-guerreiros: missãovelhenses do bom-combate esquecidos
Pela ignorância e a indiferença histórica dos insensíveis.
Grandes monumentos de um passado que nunca passa...
Velhas residências agora dispersam na deselegância
de um amontoado de moradas pós-modernas.
Casarios coloniais que dantes davam um charme especial as suas ruas, vielas e becos.
Testemunhas ainda vivas da lida cotidiana
de um povo que nunca se dera por vencido.
Riqueza do nosso antigo bucolismo citadino.
Cachoeira, índios Kariris, solo fértil do Araripe adentro
E tantos atributos outros...
Beleza rara do nosso patrimônio arquitetônico.
Retrato agora descolorido e ameaçado por todo mau gosto,
falta de memória e esquecimento
de uma sociedade descomprometida com a sua história.
Missão Velha – cidade de um preto e branco saudoso tão distante...
Tempos idos prenhe de tragédias, bonanças e heroísmo.
Exuberância de antigos prédios centenários fincados ao chão de ferro
como um desafio ancestral explícito
de toda uma gente que ainda resiste
a indiferença e a insensibilidade dos contemporâneos.
Testemunhos fidedignos dos anos.
Glória viva dos vencedores e dos vencidos.
Pretéritos momentos que se fizeram eternos
por força da sua concretude inscrita nas paredes do presente.
Artísticos edifícios: pedra, barro, tijolo, madeira e cal.
Sangue, suor e lágrimas de antigos mestres, escravos e trabalhadores.
Eterno eito de grandiosos sacrifícios;
Pobres e vassalos.
Coronéis, comerciantes e donos de engenhos.
Beatos, bandidos e cangaceiros.
Donos de escravos e gado.
Casarões centenários missãovelhenses.
Fato estético em que toda arte se expressa
Num turbilhão imenso de reminiscências indescritíveis.
Saudades indeléveis, gratas lembranças e deslumbramento.
Recordações de uma Missão Velha outrora bela e diferente.
que desafiando os anos chegou até nós – como um obelisco.
E que agora no tempo presente está correndo risco.
Missão Velha com os seus casarões antigos,
ontem, hoje e para todo o sempre
é um presente.
Um monumento antigo.
A que todos os seus filhos têm agora
a obrigação de defender.
__
Prof. José Cícero
Secretario de Cultura/Aurora-CE.
Fotos: Elycélia Silva (MV)

3 comentários:

paulo henrique disse...

parabéns pela informação e divulgação da cidade irei seguir- seu blog

eu me equivoquei sim sobre a autoria e fonte. mais isso ja foi solucionado
espero que siga o juventude revolucionaria.

eu seguirei seu blog parabéns e obrigado pela participação

Missão Velha Notícias disse...

Parabéns pela postagem, e gostaríamos de sua autorização para repostá-la no nosso blog de notícias aqui de Missão Velha. Atenciosamente. Desenvolvedores do Missão Velha Notícias.

José Cícero disse...

Amigos e companheiros do MISSÃO VELHA NOTÍCIAS, podem publicar como desejarem o artigo-poema em epígrafe, que modestamente escrevi.
Para mim será uma honra incomensurável.
Que Allá os porteja, ilumine e guarde para o todo e sempre.
Saudações fraternas e culturais,
José Cícero
Seculte-Aurora.

Google+ Followers