sexta-feira, 27 de fevereiro de 2009

ESTAÇÃO FERROVIÁRIA: Fonte de Nascimento da Civilização Aurorense

A Escola de Ensino Fundamental e Médio Monsenhor Vicente Bezerra é um presente da agência da estação ferroviária de Aurora, com inauguração no dia 07 de setembro, 1920, ficou Aurora, durante vários anos sendo o centro do cariri a ligar a capital Alencarina, assim, os iluministas da época, no entusiasmo do Dr. Guedes Martins e no levante de Monsenhor Vicente Bezerra e no também humanista Romão de Sá Barreto Sabiá, a mestrialidade de muitos outros {...}. Dando um ponto para a parada do cangaceirismo, coronelismo e vandalismo do tempo passado, colocaram de pé a idéia do primeiro educandário de Aurora {(visto a) (pulverização das Escolas Reunidas serem englobada ao Monsenhor} com unicidade física, {alvenaria coesa espacial} educacional e intelectual à terra do menino Deus, é neste ponto iniciático que nasceu a Escola Monsenhor Vicente Bezerra há mais de 81 anos humanizando o povo de Aurora, Graças dou ao Secretário de Cultura, turismo e desporto, por abrir para as novas gerações o prumo da história humanizadora de Aurora, que nasceu na estação ferroviária, centro de encontro de uma nova classe social que nascia, ainda que de forma embrionária, a burguesia iluminista a lutar contra o reacionarismo obscuro de uma aristocracia que mandava e desmandava ao poder da bala, do fuzil e do terror.
Como bem frisou o escritor Aurorense Serra Azul "a sua história é trágica e tremenda", porém, a cordialidade dos que aqui chegaram os dos que passaram um hálito oxigenado de civilidade com a consolidação do primeiro educandário Monsenhor Vicente Bezerra no querido bairro do Araçá, uma nova luz acende no farol de desenvolvimento educacional, comercial e intelectual de Aurora. Agora, também, com a mesma maestria dos pioneiros a bailar nas linhas turvas de nossa história, o abalizado Prof.José Cícero da Silva, que a frente da Secretaria de Cultura Esporte e Turismo a voltar o charme provinciano de um povo simples e alvissareiro - O Povo de Aurora, a lembrar no DNA cultural de Aurora a folhear as páginas nobres de uma nova história que começa com uma biblioteca, que, com certeza é uma nova luz para as novas gerações.
Por Luiz Domingos de Luna
Aurora - CE.






Nenhum comentário:

Google+ Followers