quarta-feira, 3 de março de 2010

Seculte: Relíquias históricas motivam encontro de pesquisadores com o vigário de Aurora


Sec. de Cultura José Cícero; Pe. Josias: vigário, professores: Ronaldo Santos e Fábio Leite
O secretário de Cultura José Cícero juntamente com o professor Ronaldo Santos e o bacharel em direito Fábio Leite participaram na manhã desta quarta-feira(3) na casa paroquial de uma reunião com o padre Josias, vigário da paróquia de Aurora.
O objetivo do encontro foi levar ao conhecimento do pároco algumas das informações referentes às relíquias históricas, remanescentes da antiga capela de São Benedito(da Aurora velha) doadas pelo imperador D. Pedro II ao preto Benedito, fundador da tal capela – a 1ª da localidade em torno da qual surgiram as primeiras células para a formação do núcleo urbano de Aurora.
A intenção é reunir em um só local todas as peças religiosas, preservando-as da destruição e do esquecimento. “Estas relíquias representam o que há de mais importante no que diz respeito às provas ainda vivas entre nós, da existência da velha capela de São Benedito”, assegurou o secretário de Cultura. “Ou se faz isso agora, ou poderemos daqui a pouco perder este imenso manancial do nosso patrimônio histórico-religioso”, completou. As peças, segundo consta nos livro: Aurora – História e Folclore de autoria do historiador Amarílio Gonçalves(falecido) compõem-se de documentos de inquestionável valor histórico. A saber: uma estátua de Nossa Senhora dos Remédios, do Busto de Cristo(ambos em madeira), além do sino com o brasão imperial e um quadro pintado á óleo com a imagem de Jesus Cristo.
Após a conversa com o padre Josias; ficou acertado que, sob a coordenação da Secretaria de Cultura será criada uma comissão com vistas a iniciar o quanto antes o trabalho de levantamento, estudo e resgate a partir dos contatos necessários com as pessoas e os responsáveis no poder das quais estão ais relíquias.
Na mesma ocasião, o professor José Cícero entregou ao vigário aurorense os dois primeiros números da edição de estréia da Revista Aurora onde intrigantes fatos da história não-oficial de Aurora estão descritos, incluindo o tema que motivou a reunião. “Fomos bem recebidos pelo reverendo, que, aliás, se mostrou bastante sensível e atencioso no tocante à importância de iniciarmos o quanto antes este trabalho de resgate e de preservação de parte importante da história eclesiástica e popular da terra do Sr. Menino Deus”, finalizou.
Ainda esta semana, Fábio Leite, Ronaldo Santos e o chefe da Seculte, estarão se encontrando de novo, desta feita para traçar as diretrizes finais com vistas ao trabalho de pesquisa de campo.
Da Redação.

Nenhum comentário:

Google+ Followers