domingo, 22 de janeiro de 2012

Artigo Pedagógico - Profª Mª Cristina Araújo *


A falta de limites na educação dos filhos

Ensina à criança o caminho que ela deve seguir:
mesmo quando envelhecer,
dele não se há de afastar” (Pv 22,6)

Como educadora , hoje vivo várias instâncias do Educar... estando na área educacional nosso cotidiano é contemplado diariamente com a dificuldade que os pais enfrentam com relação a educação e criação dos filhos na sociedade atual e diante desse cenário, comecei a meditar sobre qual seria a causa do ser humano ter dificuldades de viver dentro dos limites ou de cumprir o que lhe é proposto ou muitas vezes até imposto. Poderia analisar vários fatores, mas vou me deter nesta causa de suma importância: a falta de limites na educação dos filhos.
Não é fácil corrigir e dizer “não”, seria mais fácil e conveniente dizer sempre “sim”, pois quem diz “não” se expõe e, muitas vezes, atrai sobre si a ira do outro. Quem corrige, mesmo querendo o bem do outro, corre o risco de ser mal interpretado, contudo, demonstra um grande amor e cuidado com o outro. Só quem nos ama nos diz “não”. Para educar é preciso esforço, dedicação, perseverança, paciência…, sobretudo, amor. Quem nos ama, os que sinceramente se interessam por nós, não têm medo de nos dizer a verdade e de nos corrigir. Se você não consegue impor limites aos seus filhos, não desanime. É preciso tentar, começar, recomeçar… sempre é tempo de recomeçar! Confie em si mesmo, peça o Dom da Sabedoria ao Espírito Santo e mude, assumindo as responsabilidades e transmitindo os valores morais e religiosos aos seus filhos. Mais tarde eles vão lhe agradecer, tenha certeza.
Talvez você leitor esteja pensando: pensa que é fácil falar? Queria que fosse ela... mas quero aqui dizer da angústia de pais que são amigos meus e que tentam de todas as formas trabalhar a falta de limites para com seus filhos. Quero deixar bem claro que não existe receita de bolo, mas há princípios imprescindíveis na hora de disciplinar.
Os pais devem não somente falar como também dar-se ao exemplo e passar uma sensação de segurança quando estão falando com os pequenos, pois senão eles levaram tudo na brincadeira.
É importante saber a diferença entre Disciplina X castigo:
�� Castigo: nos bloqueia para a vida, não educa, deixa a auto-estima no ralo, estimula a violência, a perversão, o engano...
�� Disciplina: nos faz crescer, ser uma pessoa melhor, um cidadão, desenvolve a auto-estima, a ética, o senso de justiça.
Uma coisa é castigar, outra, disciplinar. Castigar, qualquer um pode, disciplinar é um trabalho longo, amoroso, que exige antes de tudo muito amor,
paciência, determinação, auto conhecimento e conhecimento do sujeito à ser
disciplinado...
Para uma melhor orientação queria deixar sugestões caros leitores... Por onde começar: Reúna a família, conversem, estabeleçam metas, alvos mensuráveis, alcançáveis a curto, médio e longo prazo.
Claro para os pré-adolescentes ou jovens querem que tudo na vida atual fosse igual a “Malhação”, os adolescente nos dizem sempre. Sendo assim é fundamental para a boa educação do ser humano, que pais e professores acreditem no estabelecimento dos limites como um processo de compreensão e apreensão do outro através do respeito, pois, não se pode ultrapassar os limites que este terá estabelecido para si, nem satisfazer somente aos próprios desejos sem pensar nos direitos do outro.
Lembro a todos que não se deve perder de vista a necessidade e o respeito, da abertura, da confiança, da intimidade e da expressão de sentimentos nessas relações. Porém, isso não implica uma liberdade total e ausência de regras. Implica, sim, numa relação e numa educação mais flexível e consciente; onde regras e limites estão presentes.
Boa sorte a todos os pais/responsáveis que diariamente cuidam e se dedicam aos filhos(as) e tenham certeza que é uma missão maravilhosa e bela ser mãe, pai e educador. E pode crer que você pai ou mãe são abençoados por Deus, pois seus filhos são um presente único em todo o mundo.
Abençoa Senhor as famílias... Amém!
---------------------------------------
(*) Maria Cristina de Araújo Oliveira é professora na EEIF Ferreira Benício.
Atual Diretora Pedagógica do Colégio Paroquial Sr. Menino Deus (rede privada)
graduada em Língua Portuguesa e Inglesa, pós-graduada em Gestão Escolar e em Língua Portuguesa e Literatura.

Colaboradora do Blog de Aurora
........................................

LEIA MAIS EM:

WWW.jcaurora.blogspot.com

WWW.prosaeversojc.blogspot.com

WWW.aurora.ce.gov.br

WWW.blogdaaurorajc.blogspot.com

WWW.seculteaurora.blogspot.com

Foto: Arquivo
---------------------------------------------------
COMENTÁRIO PUBLICADO:
vanilda deixou um novo comentário sobre a sua postagem "Artigo Pedagógico - Profª Mª Cristina Araújo *":

Professora Maria Cristina Araújo,
parabéns pelo Artigo!É a mais pura verdade,quando dizemos ou ouvimos falar-"educação vem de berço".
Devemos sim,saber colocar limites para nossos filhos. A final somos seus primeiros educadores.
As críticas surgem mesmo.O importante é não nos irritarmos,como tão pouco nos envaidecer ao elogios. Desta forma,ultrapassaríamos ao limite.
SIM E NÃO, tem a mesma quantidade de letras, mas possuem peso muito diferente! O NÃO, persiste na caminhada certa. É ai essa diferença.
Reconheço que sou uma admiradora incondicional dos professores.
e todo esse apreço,é consequência de experiência já vivida. Por pouco tempo, mas o suficiente para entender que não é fácil.
Fui professora durante um ano na CNEC.
Muitas felicidades em sua jornada e muita firmeza em seus NÃO.
Vanilda SP.(aurorense) ....

Um comentário:

vanilda disse...

Professora Maria Cristina Araújo,parabéns pelo Artigo!É a mais pura verdade,quando dizemos ou ouvimos falar-"educação vem de berço".
Devemos sim,saber colocar limites para nossos filhos.A final somos seus primeiros educadores.
As críticas surgem mesmo.O importante é não nos irritarmos,como tão pouco nos envaidecer ao elogios.Desta forma,ultrapassaríamos ao limite.
SIM E NÃO,tem a mesma quantidade de letras, mas possuem peso muito diferente!O NÃO,persiste na caminhada certa.É ai essa diferença.
Reconheço que sou uma admiradora incondicional dos professores.
e todo esse apreço,é consequência de experiência já vivida.Por pouco tempo, mas o suficiente para entender que não é fácil.
Fui professora durante um ano na CNEC.
Muitas felicidades em sua jornada e muita firmeza em seus NÃO.
Vanilda SP.(aurorense)

Google+ Followers