segunda-feira, 29 de junho de 2015

Todo o amargor de um rio Salgado*

Nosso rio Salgado está morrendo. Para esta triste constatação não é preciso muito estudo, basta apenas um olhar mais atento para o rio que entre outras coisas, foi o responsável pela origem de Aurora em particular e do próprio povoamento do Cariri em geral.
A despeito de tudo isso, o mais importante manancial caririense a cada dia que passa vem sendo maltratado por uma série de atividades predatórias, dentre as quais, a poluição decorrente do recebimento de grande parte dos esgotos domésticos e industriais, desde o Crato(onde nasce) até o Icó(onde termina). O que  tem o  transformado num verdadeiro esgoto à céu aberto. 
Mas, infelizmente, a degradação não para por aí, vez que no seu percurso de  aproximadamente 13.275 km, 42 dos quais só no território aurorense,  banhando por cerca de 23 municípios; o Salgado sofre ainda um intenso e acelerado processo de assoreamento, provocado pelo desmatamento que não se resumo apenas a sua mata ciliar. Além do crescimento urbano desenfreado que já chegou às suas margens, descumprindo, inclusive, o  código florestal.
De tão poluído, portanto, o rio Salgado não mais oferece - como no passado, a riqueza de peixes a seus pescadores ribeirinhos. Dada a carência do antigo pescado, a intoxicação da fauna hídrica por metais pesados e a invasão de plantas aquáticas etc. Muitas espécies, inclusive, endêmicas do seu bioma já não existem mais, a exemplo da Jutubarana que a mais de uma década é dada como extinta.
O mais revoltante é que, quanto mais o Salgado avança no seu estágio de morte anunciada, mais se nota o quanto inócua, limitada e deficiente(quando existem) são as ações do IBAMA no sentido de coibir os diversos tipos de agressões que pesam sobre o ecossistema salgadiano. Basta ver os últimos acontecimentos relacionados às obras(infinitas) de construção da Transnordestina onde até aterros e construções de pontes(como no sítio Calumbi/Santo Antonio) em Aurora estão sendo feitas praticamente às margens do rio. O que deverá agravar ainda mais o problema no futuro, quando o Salgado encher(foto 2 acima).
Então, o que podemos esperar das pessoas comuns no tocante à preservação, quando vemos que uma obra pública não dá o exemplo? 
Não resta dúvida, a situação do Salgado é gravíssima e inspira maiores cuidados, tanto pela população quanto pelas autoridades competentes. E caso nenhuma providência  seja tomada agora em regime de urgência, daqui a pouco o rio do Cariri entrará num caminho sem volta. Concretizando  o chamado colapso total. Ou seja, a sua destruição, face a poluição das suas águas, o assoreamento, a extinção de espécies animais e vegetais próprias do seu bioma, o processo indiscriminado de barramentos no seu percurso, erosão das suas margens entre outros problemas. 
No mais, sem os investimentos necessários em ações e obras de saneamentos básicos muitas cidades caririenses prosseguem derramando seus esgotos e vários tipos de lixos no leito do rio. Gerando assim um desequilíbrio e degradação sem precedentes.
Caso permitamos que o Salgado morra, todos seremos culpados. Alguns pela incompetência e o não-cumprimento do dever e das suas obrigações públicas. Outros, pela desatenção, ignorância e indiferença para algo que é vital para a vida e a própria sustentabilidade ambiental do planeta.
A morte do Salgado não há de servir a ninguém, tampouco aos que só enxergam poder e dinheiro.
Por isso é difícil aceitar a ideia de uma região tida como desenvolvida quando as pessoas que a habitam não se dão conta sequer de algo tão importante e tão grave, como a situação por que passa o rio Salgado do Cariri cearense.
.............................
Por J.Cícero - Da Redação do Blog da Aurora
fotos: 1,2 Jc, 3 internet

segunda-feira, 22 de junho de 2015

AURORA sedia encontro para debater curso de formação para gestores culturais do Cariri Oriental*


Aconteceu na manhã desta segunda-feira(22) na cidade de AURORA o encontro regional para gestores culturais, agentes e conselheiros de cultura do Cariri Oriental. Ocasião em que estiveram presentes diversos artistas e fazedores de cultura aurorenses.
O acontecimento proposto pela Universidade Federal do Cariri(UFCA) em parceria com a gestão municipal teve como objetivo debater o edital referente ao curso de formação para os que atuam na área da cultura, tanto no setor público quanto na sociedade civil. 
Trata-se de um projeto, conforme afirmou o secretário da pasta  José Cícero, do  Ministério da Cultura, por meio da Secretaria de Articulação Institucional (SAI), em parceria com a pró-reitoria de cultura da Universidade Federal do Cariri  e que acontecerá até novembro. Disse ainda que o curso de formação e extensão tem como meta principal o aperfeiçoamento em Gestão Pública de Cultura, bem como melhor capacitar os municípios para à questão da construção do Plano municipal.
Já  os representantes da UFCA presentes ao encontro, os professores Paulo André e Ana Cláudia(fotos),  ressaltaram que "o curso tem como objetivo principal capacitar gestores públicos, conselheiros e agentes culturais em todo o Estado, a fim de desenvolver competências e habilidades voltadas para o acesso às políticas de cultura, valorização a cultura regional e local e ainda a consolidação do Sistema Nacional".
Cada município terá direito inicialmente a quatro vagas sendo duas para o setor público e duas para a sociedade civil. Mas, conforme asseguraram os representes da UFCA é possível que este número possa aumentar a depender dos outros municípios, caso não haja o preenchimento total das vagas ofertadas ofertadas.
 
O curso:
As aulas serão realizadas na forma semipresencial, integrando ações educativas presenciais e a distância. Elas têm como pressupostos metodológicos a relação teoria/prática, a transversalidade e a interação dos conteúdos, procedimentos e ações. O percurso formativo contempla o desenvolvimento de módulos estruturados com base nos três eixos temáticos - Políticas Públicas de Cultura; Diversidade Cultural e Desenvolvimento Sustentável e Gestão Cultural. Nos módulos presenciais, estão previstas oficinas, seminários, painéis, vivências e atividades do campo. Como procedimento metodológico embasador de atividades subsequentes, será realizada oficina para Diagnóstico Rápido Participativo (DRP), a qual dará oportunidade da construção de quadro de possibilidades e desafios na área da gestão cultural nos municípios envolvidos com o curso. 
-------------------------
Da Redação do Blog de Aurora e internet.
fotos: Adriano de Sousa Anão e Jean Charles(Secult-PMA)

sábado, 13 de junho de 2015

Artigo do engenheiro Luiz Carlos aborda a Santa Ceia de Aurora*

A SANTA CEIA E A ARTE SACRA NA MATRIZ DO SENHOR MENINO DEUS EM AURORA/CE.
(Uma obra artística e cultural intimamente ligada ao povo de Aurora)

“Enquanto comiam, Jesus tomou o pão, deu graças, partiu-o e o deu aos seus discípulos, dizendo: Tomem e comam; isto é o meu corpo. Em seguida tomou o cálice, deu graças e o ofereceu aos discípulos, dizendo: Bebam dele todos vocês. Isto é o meu sangue da aliança, que é derramado em favor de muitos, para perdão de pecados”.

O articulista aurorense
A Santa Ceia ou Ceia do Senhor foi instituída pelo próprio Jesus Cristo, na noite em que foi traído, às vésperas de sua crucificação. Foi a sua ultima refeição/reunião junto com os seus apóstolos, na Cidade Santa de Jerusalém.
Esse ato solene representa a base escritural para a instituição da Eucaristia, também conhecida como "Comunhão" – um momento de extrema importância a marcar a união (comunhão) da igreja e o fortalecimento espiritual dos cristãos. Para nós, membros da Igreja Católica, acreditamos que o pão e o vinho, quando consagrados pelo sacerdote (doutrina chamada de transubstanciação), se transformam no próprio corpo e sangue de Cristo no momento da Ceia.
Portanto, a Santa Ceia ou Comunhão não pode ser tomada de qualquer forma, razão pela qual somos orientados a examinarmos o nosso coração antes de participar. E é nesse exame que nos colocamos diante de Deus, reconhecendo o valor de Cristo e Sua Obra, bem como, avaliando nossa vida, confessando os nossos pecados e tomando decisões de mudanças. Só assim ficamos prontos para participar.
Para o Padre José Arnaldo Juliano dos Santos,professor e pesquisador do Museu de Arte Sacra de São Paulo, “Arte Sacra é aquela que está intimamente vinculada ao ‘espaço sagrado’ do culto, ou seja, ao ‘espaço litúrgico’, no qual se celebram os atos litúrgicos da Igreja como a Eucaristia (Missa) e outros ofícios sagrados. Então, aí temos uma variedade de elementos: Imagens de santos e santas ou pinturas de passagens bíblicas que ornamentam os altares; a arquitetura das igrejas; os altares; castiçais onde se colocam as velas, lampadários; sacrários; tapeçaria; mosaicos; alfaias comumente chamados de paramentos litúrgicos ou roupas litúrgicas; instrumentos musicais apropriados, etc. Todo este conjunto deve auxiliar os fiéis a mergulharem na beleza divina e, assim, se aproximarem do Mistério que estão celebrando”.
Em resumo, somente se classifica como Arte Sacra quando a obra está inserida no contexto espacial e experimental litúrgico. O que difere da Arte Religiosa, a exemplo da produção artística dos chamados “santeiros” que fazem e multiplicam imagens de santos e santas para a veneração domiciliar. Como destaca o estudioso, “toda arte sacra é arte religiosa, mas nem toda arte religiosa é arte sacra”.
Integrando de forma harmônica o Altar da Igreja Matriz da Paróquia do Senhor Menino Deus, em Aurora/CE, temos uma belíssima obra de Arte Sacra. Trata-se da “Santa Ceia”, esculpida em cimento pelo Mestre Franzé d’Aurora. Em exposição permanente há mais de três décadas, o quadro traz brilho e beleza à nossa matriz, vinculando-se plenamente ao “espaço sagrado” das celebrações eucarísticas.
Considerado um dos mais belos monumentos artísticos da Região do Cariri, os Paroquianos do Menino Deus não conseguem enxergar a Igreja Matriz sem a magnífica escultura. Prova dessa ligação íntima foram as diversas manifestações de descontentamento e de preocupação da comunidade em razão de boatos de que o Vigário, padre Antônio José Nascimento, planejava promover reformas no altar, em prejuízo da produção artística já incorporada ao santuário pela fé, religiosidade e cultura do povo aurorense.
Mas, imagino, foram apenas boatos. Seria inadmissível que o sacerdote, um homem de extrema sensibilidade e de comprovada dedicação à Igreja Católica e aos seus paroquianos, viesse tomar uma decisão dessas. Eu diria um Sacrilégio.
A “Santa Ceia” da Matriz do Menino Deus viverá para sempre!
............................................................
(*) Luiz Carlos de Aquino Pereira
É aurorense de boa cepa.
Engenheiro Agrônomo pela Universidade Federal do Ceará – UFC

Mestre em Economia Rural pela UFC

Perito Federal Agrário do INCRA/CE.
> Colaborador do Blog de Aurora.

sexta-feira, 5 de junho de 2015

AÇUDE CACHOEIRA DE AURORA: UM COLAPSO ANUNCIADO


No momento o açude opera com uma vazão de 80 l/s,  mas sem o complemento da adutora mais da metade deste total é perdida durante o percurso até que a água chegue as torneiras da comunidade.

Diante de uma estiagem que já se prolonga por cinco longos anos durante os quais as poucas chuvas registradas  têm sido pífias e mal distribuídas em toda a região, o município de Aurora já se prepara para o pior. O alerta é da própria companhia de gestão dos recursos hídricos do CE – Cogerh.
A cidade é abastecidoa desde o ano 2000 pelo açude cachoeira quando o mesmo foi inaugurado com capacidade de armazenamento da ordem de 34.330.000 m3 de água. Porém, correndo sério risco de secar o  município tem agora motivos de sobras para redobrar suas atenções quanto ao problema. o que coloca em xeque o abastecimento de água da sua população. Do contrário poderá voltar ao tempo em que a cidade era abastecida pelas águas poluídas do rio Salgado. O alerta foi dado a partir do relatório divulgado recentemente pela Cogerh.  E o quadro  não é nada animador.
A previsão é de que se as coisas continuarem como estão o manancial deverá secar completamente já em janeiro 2017 e ainda há quem diga que pode ser até antes,  tendo em vista a rapidez com que o nível de água vem  diminuindo a cada dia.
De acordo com os últimos dados coletados na última quarta-feira, dia 3 de junho, o açude encontra-se com apenas 24,42% da sua capacidade total. Algo extremamente preocupante, conforme opinião dos próprios técnicos.  
E o que é pior. Além das perdas naturais ocorridas pelo processo de evaporação da lâmina d’água, alguns fatores favorecem ainda mais o rebaixamento do nível de água acumulada. 
A saber: Desde o ano quando o açude entrou em funcionamento as águas são liberadas e correm por gravidade percorrendo  um percurso de  mais ou menos 3 km riacho abaixo até chegarem a primeira estação de bombeamento. Gerando, por isso mesmo, uma perda absurda que beira quase 30% do total liberados nas comportas, cuja vazão é de 80 l/s.
Cumpre destacar, inclusive, as diversas vezes que aumentaram  a vazão das águas liberadas na comporta, segundo dizem, sem o conhecimento dos moradores locais que participam das comissões de gestão das águas do açude. Aumentos estes que serviam para encher barragens  situadas abaixo no leito do rio Salgado.
Sem esquecer igualmente as diversas perdas ocasionadas pelos vazamentos corriqueiros que geralmente acontecem devido ao rompimento das tubulações de ruas que são bastante antigas. Agravado mais ainda pela leniência com que tais rompimentos são  consertados pela Cagece –  concessionária responsável pela distribuição da água  fornecida   à população.
E mais, como muitas regiões da zona rural continuam sofrendo com a falta de água para o consumo humano, pouco mais de 80 comunidades espalhadas por várias partes do município são abastecidas atualmente na base de carro pipas com  águas do Cachoeira.
Então, o que fazer?
Para que o colapso anunciado possa ser revertido só mesmo o registro de novas precipitações pluviométricas no decorrer do período ou que pelos menos possa ser amenizado, que a população  se conscientize desde já da necessidade urgente de um racionamento rigoroso. Algo que até o momento(infelizmente) não aconteceu, nem pela população e, pelo que se percebe, tampou pela própria Cagece que deveria dá o primeiro exemplo. E até mesmo investir um percentual do seu lucro; primeiro na melhoria das tubulações da rede de distribuição. Depois em campanhas de conscientização popular em parceria com agentes da própria comunidade e afins.
Com moradores da comunidade
Ainda estabelecendo maior agilidade quanto aos serviços de consertos, reparos de vazamentos e rompimentos na rede, E, principalmente na construção do complemento da adutora restante.
Por fim, num programa de concessão de bônus e abatimentos  como incentivo aos consumidores que economizarem nas suas contas o precioso líquido.
Mas, enquanto isso não acontece a crise hídrica no abastecimento de Aurora  daqui a pouco será fato consumado. Um colapso total onde muito pouco poderá ser feito. Portanto, o momento é agora. A hora é já. Não há motivo para  esperar.
Uma pergunta que não quer calar:
A quem interessa a possibilidade do caos? Por que não adotam o quanto antes as medidas necessárias para que se possa evitar o pior? Que razões motivam a Cagece, o governo do Estado e as autoridades em geral a não adotarem em regime de urgência urgentíssima o chamado princípio da precaução?
Por outro lado, preocupado com as previsões, o prefeito municipal Adailton Macedo já tem procurado por mais de uma vez, tanto o governo quanto autoridades ligadas ao setor. Porém, até este momento nada foi feito de concreto.
É inclusive ideia do gestor, provocar uma audiência pública nos próximos dias no sentido de que a população possa debater junto com representantes dos órgãos responsáveis e demais autoridades competentes do município e da capital a problemática.
Como se ver a prefeitura local tem feito sua parte, mas os que mais deviam tomar as providências cabíveis, até este momento parecem não ter despertados e nem se dado conta da iminente gravidade da situação.
Todos e mais ainda, a população aurorense, haverão de pagar um alto preço num futuro breve, caso se deixem levar pelo comodismo, a indiferença e as velhas soluções de continuidades.
---------------------
Jc da Redação do Blog de Aurora
fotos: Blog d'Aurora
Aurora – CE.

terça-feira, 2 de junho de 2015

Aurora se prepara para mais um Festival de Teatro*

Público prestigia o Festac  em 2013 no pátio da antiga Estação Ferroviária 
Plateia acompanha as apresentações teatrais do Festac 2014

Com o apoio total da gestão municipal, a Secult-Aurora já ultima os preparativos para a realização do Festac  edição 2015

cartaz de divulgação
A Secretaria de Cultura e Turismo de Aurora sob os auspícios da gestão municipal promove na noite da próxima sexta-feira(dia 12 de junho) a 3ª edição do Festival Municipal de Artes Cênicas de Aurora - Festac 2015.  
O evento acontece na plataforma da antiga estação ferroviária - patrimônio histórico da cidade - que neste ano completará 95 anos de existência.  A Secult-Aurora, na ocasião fará uma homenagem simbólica pela passagem do aniversário da velha estação da RVC.
Vários grupos de teatro amador de Aurora participarão do festival, sendo que a abertura oficial será feita pela companhia de teatro Anjos da Alegria  da cidade do Crato com a apresentação da consagrada peça: Animartes. 
Conforme a secretaria de cultura, cada grupo local receberá um cachê de quinhentos reais e mais um troféu pela participação, além de certificados que serão fornecidos a todos os integrantes dos grupos teatrais.
O Festac 2015 assim como aconteceu nas edições anteriores conta também com o apoio do centro cultural Banco do Nordeste.
atores da cia de teatro do Crato-CE
"Não temos dúvida de que o Festac este ano será mais uma vez coroado de muito sucesso, dada a participação maciça da nossa população que adora espetáculos teatrais encenados pelos artistas amadores da nossa terrinha", disse o secretário da pasta o prof. José Cícero. 
Uma das principais razões para que o Festac venha recebendo todo o apoio necessário por parte da gestão municipal a frente o prefeito Adailton Macedo que, aliás, tem acompanhado de perto todas as apresentações durante as edições passadas, disse.
Bastante concorrido o Festival de teatro de Aurora, há muito que já constitui um dos mais esperados eventos culturais da terra e que por isso mesmo compõe parte especial do calendário festivo-cultural  do município.
A secretaria de cultura, por isso espera contar mais uma vez com a grande participação da comunidade local.
-------------------------
Da Redação do Blog da Aurora e da Secult.

segunda-feira, 1 de junho de 2015

Audiência Pública: AURORA da Educação!*

Em tempos difíceis em que o sistema educacional brasileiro é alvo de críticas por conta dos baixos índices de educação que coloca o  Brasil na rabeira da avaliação mundial, até mesmo em comparação com nações da África e da América Latina, nada mais animador do que saber que nem tudo está perdido. 
Que existe um fio de esperança e uma luz no fim do túnel,  ante a perspectiva do novo. Tudo alicerçado na vontade e no esforço coletivo, sobretudo daqueles que  acreditam e fazem da própria lida educacional um exercício cotidiano. Quem sabe, sua razão de  vida, ou ainda como  uma autêntica profissão de fé - os professores e demais profissionais da pedagogia em geral.
Assim é que avaliamos o grau de importância e o papel transformador conferido à realização de uma Audiência Pública, como tal se propõe promover para os próximos dias a gestão municipal de Aurora - CE. Ocasião em que educadores, estudantes, formadores de opinião e a sociedade em geral serão chamados a propor e discutir novas ideias com vistas ao melhoramento da educação pública que queremos para a próxima década. Todo o resultado de tais discussões culminará naturalmente na elaboração do chamado Plano Municipal de Educação proposto para 2015-20125.
Por isso mesmo, algo que, por uma série de fatores objetivos se reveste  do mais alto significado, visto que concentra no seu bojo o necessário mecanismo para que se possa atingir novas  metas e  exigências qualitativas no que tange à educação popular que todos esperam para o presente e o futuro.
De sorte que, diante da atual crise educacional por que passa o Brasil,  este planejamento estratégico decenal é muito mais do que um mero ato teórico-burocrático. Mas algo urgentemente necessário, a fim de que o município  consiga  assegurar desde já, o seu lugar devido no contexto do desenvolvimento nacional e mundial. E como tudo passa necessariamente pelos municípios, este projeto precisa acontecer sem mais delongas, além de ser edificado à muitas mãos. Do contrário, se tornará como muitos outros, pura letra morta. Diretrizes, marcos legais, protocolos de intenções esquecidos nas gavetas empoeiradas dos burocratas de plantão.
Um documento afirmativo e avançado que consiga refletir as necessidades, as carências e as dificuldades de todos quantos compõem o cenário da educação municipal. Sem no entanto, perder de vista as diversas particularidades/especificidades inerentes a cada estrato especifico da nossa região. Que tenha,  portanto, o corpo e a cara de cada um dos que participam deste processo desde a sua raiz. 
E, se nesse propósito se debruçam de modo decidido e consciente todos os nossos entes pensantes, há por assim dizer, razões preponderantes e motivos de  sobra para que todos os envolvidos possam acreditar numa mudança possível. Como igualmente, na construção de uma educação de fato emancipadora, construtiva, democrática, cidadã e inclusiva.  E não mais como no passado, numa mera utopia de teóricos sonhadores, mas como um fato essencialmente concreto. 
Todos à audiência da educação pública municipal de Aurora. 
Bom trabalho, sucesso e parabéns por mais esta feliz empreitada social. Aurora precisa, o Brasil merece!
-----------------------
Prof. José Cícero
Aurora - CE.

Google+ Followers