domingo, 15 de novembro de 2009

Representantes da Secretaria de Cultura do Estado visitam patrimônios históricos em Aurora




Imagens da visita ao casarão, a capela da Mártir Fca e de S. Benedito nas Beatas
Durante dois dias esteve visitando Aurora uma equipe técnica de inspeção do patrimônio histórico da Secretaria de Cultura do Estado. Composta por um engenheiro civil, um projetista-desenhista e um historiador a equipe da Secult estadual empreendeu visita à sede e ao distrito de Ingazeiras. Ocasião em que realizou levantamentos acerca de alguns dos mais importantes monumentos do patrimônio histórico e arquitetônico de Aurora, a exemplo do Casarão do Cel. Xavier localizado ao lado da matriz, uma construção de 1831 e que fora recentemente adquirido pela Prefeitura; o antigo prédio da Estação Ferroviária(sede) construída em 1920 revitalizada pela gestão municipal e onde já funciona a Biblioteca Pública; bem como o prédio que antes servia como residência da chefia da estação e que agora foi também adquirido pela prefeitura que ora abriga a sede da Seculte-Aurora.
Acompanhada do secretário de cultura José Cícero, a equipe também visitou a Estação ferroviária de Ingazeiras, a antiga Casa do Agente da Reffsa, além do local onde no passado existiu a velha capela de São Benedito, edificada pelo ex-escravo o preto Benedito ao lado do Rio Salgado no bairro da Aurora Velha( local conhecido ainda hoje como as Beatas).
O levantamento realizado pela equipe da Secult-CE irá possibilitar a aquisição de recursos e projetos além de futuras parcerias com alguns órgãos do Governo Federal e Estadual, afirmou secretário. “Este levantamento é uma forma de comprovarmos oficialmente de que Aurora possuir um patrimônio histórico de relevante valor cultural e que para tanto, necessita com urgência do apoio governamental para que possamos instituir uma política de preservação, manutenção, resgate e difusão das nossas potencialidades nesta área”, disse. “Este estudo técnico posto agora no papel e levado ao conhecimento das esferas públicas nos ajudará no processo de encaminhamento de projetos e outras reivindicações culturais, sobretudo na questão de formulação de proposta para os editais voltados para este setor. Por isso não vamos dá trégua a esta luta de manutenção e preservação da história aurorense.
Quando estivemos na capital em companhia do prefeito Adailton Macedo o secretário Auto Filho foi bastante receptivo a nossa causa, de modo que esta vinda do pessoal técnico é resultante daquela reivindicação que agora irá continuar”. Completou, “sabemos que para tudo na esfera pública é preciso ousadia e iniciativa política para acontecer a contento e por aqui temos um prefeito que considero de uma visão cultural das mais expressivas que é o Adailton. Um cara que não se preocupa apenas com questões comuns como a maioria... Uma prova da sua determinação é o que já foi feito nestes dez meses, muito mais do que muitos dos que passaram pelo poder local. A qualidade do trabalho que vemos na área da cultura e do esporte, por exemplo, é uma prova da sua disposição em fazer o melhor em favor da coletividade da sua terra.
A compra do prédio onde agora funciona a sede da cultura, a compra do casarão do coronel Xavier, são indicativos da sua missão inovadora, que confesso até me surpreende, pois estamos num momento de crise e praticamente edificando os alicerces de um plano cultural que sequer existia quando assumimos. No entanto; a inteligência, o desprendimento e a visão de futuro e de contexto histórico e social vem fazendo a diferença e, mais que isso: têm resultado em ações importantes como estas”.
“Muita coisa ainda tem por ser feita e nós iremos fazê-las, inclusive com a participação efetiva dos nossos artistas, artesãos e de todos os que se sentem de algum modo tocados pela arte e a cultura desta terra maravilhosa”, finalizou o secretário. Em contato com o coordenador da equipe o professor e poeta Otávio Menezes, o secretário José Cícero já agendou uma outra visita quando os mesmos conhecerão de perto o Cemitério da Bailarina(no Carro-quebrado/Antas), a Massalina( na Volta), as minas do Coxá e outros atrativos naturais do rio Salgado. Uma vez no Casarão, o pessoal da equipe ficou impressionado com o péssimo estado de conservação do velho sobrado. Na oportunidade, o secretário convidou o professor Luiz Domingos para acompanhar de perto todo o levantamento empreendido pela Secult-CE.
Da: Redação do Blog da Aurora, do JC e da Seculteaurora
Leia Mais em:



Um comentário:

LIVRO DIGITAL - LUIZ DOMINGOS DE LUNA disse...

Gostaria de parabenizar a atitude fluente e determinada do Secretário de Cultura de Aurora, Prof. José Cicero da Silva, que de forma atuante e combativa, traz a lume pela primeira vez na história de Aurora a Certidão de nascimento do nosso vasto acervo cultural, artístico, histórico, eclesiástico, agora à luz dos fatos passados, aos olhos do Estado do Ceará.
Com certeza novas facetas irão ser reveladas, na cidade que no seu nascedouro, teve como epicentro o desabrochar do cangaço nordestino, a atuação da Ordem Santa Cruz, a missão dos Padres Lazaristas, as minas do coxá sem esquecer nunca o auto de canudos. ( ainda a revelar)
Foi preciso passar 126 anos para que agora, creio eu, ser finalmente a oportunidade de recontar a história real dos fatos que abalaram o cariri cearense, e que de já, Praza Deus, possa O José Cicero da Silva descortinar estas paginas tiradas dos anais da história do estado terra da Luz.
Finalmente: sua história tragica e tremenda, a bailar nas epistolas sagradas do nosso querido estado democratico de direito - Brasil
Conte sempre comigo nesta empreitada, e dê conhecimetno ao mundo deste seu pioneiro trabalho, silenciado pelos coroneis e pelos mandandes de um passado tenebroso e que agora graças a tenacidade de José Cicero a história que a história não teve coragem de revelar tem o seu autor não mais no anonimato, mas na autenticidade dos fatos de quem teve coragem e ousadia de fazer: autor de fato e de direito José Cicero da Silva, com aprovação sempre de seu companheiro da revista Aurora Luiz Domingos de Luna.
Finalmente o livro de Amarilio Gonçalves Tavares possa ter uma nova Capa, adicionada a já existente o enigmático Casarão,1831 Premeiro predio feito em alvenaria no cariri cearense.
Adormecido no seu famoso túnel do tempo a ligar a Igreja Matriz do Senhor Menino Deus na paróquia de Aurora no Ceará.

Google+ Followers