terça-feira, 30 de dezembro de 2008

Se não sabia, fique sabendo...

Que até o momento(29/12/2008), quase nenhuma criança foi devidamente matriculada na rede de ensino municipal...Um acontecimento diametralmente oposto ao que ocorre na rede estadual.
Curioso: noutros tempos, as matrículas começavam cedo, logo no ato da entrega dos boletins escolares. Não dá para acreditar que uma atitude como esta seja produto de revanche ou qualquer tipo de retaliação pelo resultado das eleições de outubro.
Desculpem a ignorância: Se todos sabem que o repasse do FUNDEB para os municípios é per capita, isto é, por número de alunos será que o fato em questão tem a intenção deliberada de prejudicar a nova administração? Uma pena, se o for, pois o município como um todo é que sairá penalizado e a educação comprometida caso haja um rebaixamento em 2010 nos atuais montantes de recursos repassados, posto que os percentuais sempre tomam por base os anos anteriores.
O que fazer: Como nem tudo é fatalismo, a ordem é recuperar o tempo perdido, ou seja: tão logo o novo prefeito seja empossado, ponha em macha uma força tarefa. Verdadeiro mutirão pela educação, conclamando os pais de alunos e a juventude para a necessidade da matrícula como uma necessidade urgente e fundamental para o futuro da educação de Aurora.
Difícil é entender como uma festança nos últimos dias de gestão possa ser encarada como um ato louvável.

segunda-feira, 22 de dezembro de 2008

Prefeito eleito de AURORA Adailton Macêdo anuncia secretariado




O novo prefeito eleito de Aurora Adailton Macedo(PSDB) ao lado do vice Antonio Landim(PSC) anunciou nesta segunda-feira, 22 através da rádio Boa Esperança AM do Barro, os nomes dos que irão compor o seu futuro secretariado.
O anúncio vinha sendo aguardado com muita expectativa por parte da população, uma vez que a eleição de Adailton Macedo teve a forte marca da mudança. Razão pela qual parte considerável da municipalidade há dias vinha especulando os supostos nomes dos que poderiam integrar a lista do futuro secretariado. Com todos os ingredientes políticos, o tema virou de vez um dos assuntos preferidos e mais comentados nas rodas de amigos, tanto na cidade quanto no interior rural.
Alguns nomes foram recebidos com absoluta surpresa, outros nem tanto, posto que informações de bastidores já circulavam pela cidade. Contudo, no cômputo geral, os nomes dos indicados foram bem recebidos pela comunidade, sobretudo pela qualidade da equipe, assim como os critérios estabelecidos para a escolha que, em suma, priorizaram a inteligência, a seriedade e o compromisso de trabalho e dedicação dos indicados com o bem-servir em prol da construção de uma Aurora Moderna, democrática e renovada para todos, assim como pensa o novo mandatário aurorense.
1º Encontro com o secretariado:
No domingo está previsto para acontecer o primeiro encontro entre o prefeito eleito e o seu secretariado. Na oportunidade será debatida dentre outros assuntos, a escolha do segundo escalão administrativo e as primeiras iniciativas para o início de janeiro quando a equipe assumirá efetivamente os destinos de Aurora. Também será conhecido pelo secretariado o levantamento produzido pela equipe de transição contendo um diagnóstico acerca de como se encontra o município do ponto de vista administrativo.
Até o momento no que tange ao primeiro escalão, apenas a pasta de Finanças ainda não conta com o seu titular, mas conforme a assessoria do prefeito, o anuncio do nome apontado será conhecido até quinta-feira. Ainda, de acordo com Adailton Macedo está prevista também a criação de uma nova secretaria, a da juventude e Cidadania, cuja mensagem será enviada à Câmara para apreciação já na primeira sessão legislativa do ano vindouro.
Relação dos secretários já indicados e suas respectivas pastas:

Educação – Profª. Fátima Oliveira
Saúde – Drª. Petrúcia Frazão Lira
Cultura, Turismo e Esporte – Prof. José Cícero
Administração – Osasco Gonçalves - Atual Jussier(2012)
Ação Social – ex-vereadora Socorro Macedo
Agricultura – sindicalista José Dácio de Sousa
Obras e Urbanismo – Antonio Macedo.
Transportes - Paulo Roberto
Finanças - José Joaquim(Zé Pretim).

Discurso proferido durante a última sessão plenária da Câmara Municipal de Aurora em 2008


Exmª Srª. Presidente desta casa - vereadora Socorro Macedo,
Exmos. vereadores e vereadoras,
Autoridades aqui presentes,
Meus senhores e minhas senhoras;

Hoje, certamente como nunca na sua história o Poder Legislativo aurorense – a Casa magna do Povo – ora realiza uma das suas sessões plenárias mais memoráveis. Não apenas pelo simples fato de estarmos encerrando, nesta ocasião, os trabalhos de ಉಮಾ legislatura das mais operosas e marcantes, iniciada ainda no ano de 2004. Mas, sobretudo e principalmente, por ‘aqueles parlamentares’ que neste exato momento se despedem do seu mandato, com a plena convicção de terem dado o melhor de si, naquilo que sempre acreditaram ser o ideal para sua terra.
Alguns, cuja dedicação ao trabalho político tivera por assim dizer, a própria marca do seu dia-a-dia. Outros, por anos a fio fizeram do seu cotidiano uma eterna luta em favor dos menos favorecidos e do município como um todo; quase como um verdadeiro sacerdócio. De modo que a própria vida de todos eles, ao um só tempo, ainda hoje se confunde com a própria história política recente desta terra. Tamanha foi a atenção e o apego que ambos devotaram aos problemas, assim como aos interesses maiores de Aurora e de sua gente.
Senhoras e senhores,
Como disse, esta sessão se reveste da mais alta importância histórica por tudo que estas pessoas representaram ( e ainda representam) para o engrandecimento desta casa e por extensão, do próprio movimento político aurorense destas últimas décadas.
Uns mais uma vez, pelo apoio popular conseguiram galgar novos espaços no cenário político municipal. Na expectativa de poder continuar trabalhando em defesa de dias melhores para os aurorenses. Outros, por múltiplas razões, deixam neste momento a seara legislativa com a mais absoluta certeza do dever cumprido e, com os mais fortes sentimentos de amor à causa que sempre defenderam. Pois foram estas as motivações que os impulsionaram a prosseguir, por acreditar ser a política a arte do bem-servir assim como o instrumento efetivo para a transformação de qualquer sociedade.
Por tudo isso, neste instante especial, diria que uma áurea de saudade está como que a envolver este ambiente por completo. Quem sabe os deuses da tolerância e da sabedoria estejam a nos espreitar com suas benções de harmonia e fraternidade, tudo pela honra desse momento singular. E os que fazem este Poder Legislativo, desde a presidência a sua mais simples funcionária, em nome do povo e dos seus pares, não poderiam se furtar a oportunidade de desta tribuna agradecer de público a estes parlamentares amigos, por tudo que eles fizeram para o engrandecimento e a valorização desta Casa. Portanto, queremos externar nosso preito de eterna gratidão para o vereador Adailton Macedo, sinônimo de coragem e perseverança por muitos anos demonstrados aqui neste plenário e, que a partir de janeiro assumirá o posto de chefe maior do executivo aurorense. Conduzido que foi nas últimas eleições pela força soberana e democrática do povo para ser o mais novo prefeito da nossa terra. Ao deixar a Câmara, Adailton Macedo tem a noção exata das responsabilidades que a partir de então pesará sobre seus ombros na condução doravante dos destinos da nossa Aurora. Como se perceber, um autêntico líder que nunca foge à luta. Agradecidos pela efetiva contribuição dada esta Casa, aproveitamos o ensejo para lhe ದೇsejar pleno sucesso na sua nova caminhada.
Nossas sinceras considerações ao sempre autêntico e combativo vereador e sindicalista Antonio Landim, cujo trabalho parlamentar muito dignificou o nome desta casa junto às camadas populares. Prova disso foi sua histórica eleição para o cargo de vice-prefeito de Aurora fazendo dupla com Adailton.
Nossos efusivos votos de agradecimentos ao vereador Dr. Arnaldo França, um líder político que se destacara, tanto pela inteligência quanto pelo ofício da medicina. Nos dois campos, Arnaldo França escreveu de modo indelével, seu nome na história política de Aurora, já tendo inclusive ocupado em outras oportunidades os honrosos cargos de secretário de saúde e vice-prefeito. Em suma, um parlamentar que muito fez pela terra do menino Deus.
Nossa saudação à vereadora Socorro Torres, que ora também se despede desta casa com a cabeça erguida e o coração repleto de carinho e entusiasmo, posto que o otimismo e a força de vontade foram sempre a sua marca no decurso de todo o seu brioso trabalho parlamentar. Uma vereadora que muito bem representou entre outras lutas, a classe feminina no parlamento de Aurora.
Por fim, nossas mais elevadas considerações a esta eterna presidente da Câmara - Socorro Macedo, vereadora de tantas lutas sempre em favor dos mais necessitados e despossuidos tanto da sorte quanto da justiça social. Uma parlamentar, cuja simplicidade e desprendimento fê-la ocupar a cadeira de vereadora por mais de 8 anos ininterruptos. Seu trabalho, enquanto representante dos anseios populares muito fará falta aos que viam na sua empreitada, uma possibilidade de sempre avançarmos naquilo que se imaginar ser o ideal para Aurora. Sua gestão por dois mandatos a frente da presidência desta casa, foi motivo de grandes avanços em todos os aspectos relacionados ao legislativo municipal. A exemplo da verdadeira transformação e ampliação modernizadora que imprimiu ao espaço físico desta casa, além da preocupação constante em garantir comodidade e bem-estar aos edis e aos que visitam e acompanha de perto os trabalhos dos seus pares. Foi por assim dizer, uma edilidade para entrar para a história. Haveremos de acreditar que sua contribuição para o progresso e o crescimento de Aurora não poderá terminar aqui.
Recebam todos vocês, eternos parlamentares do povo aurorense, nossas homenagens e os nossos mais expressivos votos de sucesso e felicidades para nas novas caminhadas que todos haverão de empreender daqui para frente. O futuro de braços abertos estar a esperar por nós. Isso porque a luta e o sonho sempre hão de continuar para todos... Além do que, como bem dissera o poeta Menotti Del Picchia: “Todos nós nascemos amanhã”.
Mais que na história, vocês todos permanecem para sempre em nossos corações. Uma nova história, a partir de agora estará apenas começando...
Boa Sorte!
Sejam felizes!
Muito obrigado.

sábado, 20 de dezembro de 2008

Celebração assinala o 1º aniversário de morte do historiador Amarílio Gonçalves



Familiares parentes e amigos participaram na manhã de sábado 19, na igreja matriz de Aurora da missa pela passagem do primeiro aniversário de morte do ínclito escritor e historiador aurorense Amarílio Gonçalves, cujo desencarne ocorrera na capital paraibana em 18 de dezembro de 2007.
Celebrado pelo padre Cícero Leandro, vigário local, o ato religioso também ficou marcado pelo clima de saudade que dominou o ambiente. Este sentimento estava expresso nos semblantes de todos os participantes. Foi uma bela celebração religiosa bem ao jeito e ao gosto do escritor, que era por assim dizer, sinônimo de modéstia, simplicidade e amor ao próximo.
Sua contribuição à historiografia de Aurora ainda permanecerá viva e forte por muitas décadas por intermédio da mais completa obra dedicada à história, os costumes, as artes e o folclores de Aurora.
Este blog, assim como a Revista Aurora se juntam aos familiares de Amarílio neste instante em que reafirmamos sua memória ante o aniversário dos dois anos do seu falecimento.
Familiares, amigos e admiradores de Aurora, Ceará e Paraíba se irmanaram na manhã de sábado por meio da celebração ocorrida na matriz do Senhor Menino Deus. A revista Aurora se fez representar através do professor Luiz Domingos de Luna.
Lembranças do Amarílio:
Aprendi a admirar o mestre Amarílio, primeiro pela sua obra, depois quando o encontrei pessoalmente no centro de Aurora e juntos caminhamos em conversações cuja temática sempre terminava no passado de Aurora.
Entrevistei-o por mais de uma vez na antiga rádio comunitária Aurora FM, principalmente quando do lançamento da sua Obra: Aurora história e folclore(2ª edição revista) onde ele incluíra novas informações extraídas do meu opúsculo sobre os valores da terrinha(Aurorenses ilustres). O que para mim foi muito gratificante. Depois conversamos por telefone quando o mesmo demonstrou interesse em publicar “Aurora 1908 – Ataque, invasão e saque" na nossa Revista. Indaguei-o acerca de quando o mesmo viria de novo à Aurora. Disse-me que estava adoentado, mas quando tivesse melhora haveria de nos visitar. Depois, pouco antes do seu falecimento, tive o prazer de mais uma vez receber a sua ligação, ocasião em que agradeceu pela publicação do seu material na Revista Aurora. Momento em que parabenizou-me pelo conteúdo do informativo. Meio sem jeito, devo confessar que fiquei envaidecido quando ele, com sua voz quase inaudível e um tanto cansada encerrou sua ligação dizendo:
- Meus parabéns Cícero. Não pare com a Revista, viu. Está muito boa e você escreve muito bem!!.. Na próxima pode contar comigo...
Foi a ultima vez que conversei com o velho Amarílio. Pouco depois, de chofre fui surpreendido com a triste notícia do seu desencarne em João Pessoa.
Guardo ainda comigo uma longa carta a mim enviada com seu texto anexo para publicação(já que como ele mesmo me confessara) não tinha apego a comunicação on-line(computador). Uma carta como nos velhos tempos... Caligrafia impecável, ao ponto de nos transmitir verdades quase absolutas. Pois as missivas edificadas à mão nos dão esta gostosa sensação como um imperativo das certezas plenas. É como se os vocábulos viessem direto do coração. Tenho comigo também as duas edições de suas obras a me autografadas do próprio punho onde me chama de "amigo poeta companheiro das letras. "
Que bom espírito era o do Amarílio... um verdadeiro gentman. Um literato e pesquisador de mão cheia. Uma figura por quem Aurora deveria reverenciar pelos tempos a fora. Já que não o fez em vida e, sequer no momento derradeiro da sua partida para os umbrais universais. Mas, diríamos que a todo escritor que faz da sua pena a sua própria alma, não é dado o direito de não aprender viver com a ingratidão. E o velho Amarílio tirou isso de letra... Posto que aprendeu viver o tempo todo em profunda paz de espírito, consigo e com os outros.
A sua produção historiográfica, além de se constituir como um resgate importante para a geração do futuro, também se reveste de brio ao passo que representa a um só tempo; uma declaração de amor e zelo à terra que o viu nascer e crescer.
Penso inclusive, que os restos mortais do Amarílio deveriam ser transladados para a sua ribeira salgadiana. Para junto enfim, dos seus ancestrais aurorenses. Vontade, aliás, expressa na sua obra, precisamente na página 240 no poema ‘Evocação de Aurora’, quando diz poeticamente:
“ O tempo vai e não volta
Mas eu estou a voltar.
De onde esteja, o aurorense
Quer um dia retornar
Para no rincão de origem
O coração repousar.”
Viva Amarílio! Pois ele se eternizou por meio da sua obra imortal.

Comentário que fiz por ocasião de um artigo do professor Luiz Domingos em homenagem ao escritor Amarílio:

Assaz sensibilizado pela perda irreparável do nosso conterrâneo e historiador-mor de Aurora - Amarílio Gonçalves Tavares, cujo desencarne ocorrera no dia 20/12/2007) na PB, não podia eu deixar de comentar o brado deste articulista-amigo e camarada, Luiz de Luna - que de modo uníssono também chorara por dentro, visceralmente, a morte física do mestre Amarílio.
O artigo do confrade Luiz cobre-se de glória e singular gratidão por homenagear aquele que pela 1ª vez teve a exímia preocupação de eternizar no papel a rica e palpitante história da ribeira Salgadiana. A ele seremos eternamente gratos. Devemos-lhe muito por este feito, árduo, augusto e feliz. Uma conquista que com o passar do tempo valerá ainda muito mais. As novas gerações haverão de reconhecer todo o papel e a importância que teve e terá o nosso Amarílio.
Um brinde por 2008 e pela inexorável certeza de que neste instante o magno historiador e tribuno de Aurora conquistara a vida eterna. Lá do alto etéreo, certamente estará agora sorrindo e intercedendo junto ao Pai por todos os aurorenses e, torcendo pela nossa inspiração, tenacidade e resistência para que possamos "tocar" a dura lida do fazer cultural nos grotões cearenses do Cariri. Por conseguinte, desejo aqui externar minhas sinceras homenagens, tanto à memória do Amarílio quanto a iniciativa do professor Luiz Domingos de exaltar o nome deste historiador através da sua pena construtiva e edificante. Condição sine qua non para a vitória da memória contra o fantasma do esquecimento total.
Saudações amarilianas e aurorenses,
Por: José Cícero
Aurora-CE.

sexta-feira, 19 de dezembro de 2008

Educação:PISO DE R$ 950,00: "Decisão do STF é vitória parcial", diz deputado do PC do B - Chico Lopes

Uma vitória parcial dos professores. Assim o deputado federal Chico Lopes (PCdoB) avalia a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) de manter o piso salarial de R$ 950,00 para professores da rede pública com carga horária de 40 horas semanais, mas de derrubar parte da lei que estabelece reserva de um terço da carga horária dos professores para atividades fora da sala de aula. A decisão tem caráter liminar (provisório) e precisará, no futuro, ser apreciada no mérito também pelo plenário do STF.
O Supremo analisou uma Ação Direta de Inconstitucionalidade(Adin) ajuizada pelos estados do Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná, Mato Grosso do Sul e Ceará contra a lei que determinou o pagamento escalonado do piso salarial de R$ 950. Os estados argumentavam que não eram contrários à fixação de um piso em si, e sim discordantes do fato de a legislação obrigar o pagamento mínimo de R$ 950 mensais sem incluir neles as gratificações ou remuneração por horas extras.
Segundo os governos estaduais, sobretudo os governadores tucanos Aécio Neves (MG), José Serra (SP) e Yeda Crusius (RS), com os benefícios já conquistados pelos professores, os salários ultrapassariam muito o valor do piso e culminariam no descumprimento da Lei de Responsabilidade Fiscal, que impõe limites para Estados e municípios em despesas com folha de pagamento.
Mas no STF, este argumento não convenceu. Apenas o ministro Marco Aurélio Mello fez eco ao discurso tucano. "Não sei de onde vão tirar dinheiro sem a previsão orçamentária para satisfazer esse ônus. Esse ônus significou cumprimentar com o chapéu alheio. A União impôs (o piso salarial) por goela abaixo aos Estados e municípios", protestou o ministro.
Os demais integrantes do STF, porém, se mostraram favoráveis ao patamar mínimo de R$ 950 para os docentes. O relator do caso, ministro Joaquim Barbosa, lembrou que a legislação que definiu o patamar salarial mínimo já previu um prazo para que os municípios se adéqüem ao novo piso, que começa a ser pago no início do próximo ano. "Um piso salarial que é piso mesmo, que não admite um sub piso, que é mínimo e não admite um sub mínimo", destacou, por sua vez, Carlos Ayres Britto.
"Não existe nenhuma inconstitucionalidade no que concerne com a fixação do piso nacional salarial", observou o ministro Carlos Alberto Menezes Direito.
Em julho, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva sancionou o projeto de lei que criou piso salarial, beneficiando, segundo o Ministério da Educação, pelo menos 800 mil professores da educação básica pública e aposentados e pensionistas do setor. O projeto previa que os Estados e municípios deveriam cumprir o valor integral de R$ 950 até 2010 por meio de reajustes anuais graduais. A União poderá fornecer complemento financeiro àqueles entes federados que comprovadamente não tiverem condições de atingir o piso salarial dentro do prazo. Segundo a Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação (CNTE), existem mais de 5 mil pisos salariais diferentes para professores, variando de R$ 315 a R$ 1,4 mil.

Chico Lopes: "Vitória parcial"

"Nós não ganhamos, nem perdemos", afirma Chico Lopes sobre a decisão do STF. "O piso de R$950,00, que estava sendo questionado, foi mantido. Mas a decisão sobre a caga horária para atividades extra-sala mostrou um STF dividido. Enquanto os ministros Barbosa e Ayres Britto tiveram uma posição de quem conhece a realidade da educação, de quem tem respeito pela posição dos professores, os demais não mostraram, na prática, a mesma compreensão", avalia.
"Alguns ministros argumentaram que um município pequeno do Interior não teria condição de estabelecer a carga horária de um terço para atividades extra-sala, como preparação de aula, pesquisa, leituras, correção de provas etc. Mas isso é uma falácia, porque haveria um prazo de adaptação até 2014, além da garantia do Governo Federal em disponibilizar recursos para ajudar os prefeitos e governadores a fazer valer a lei", acrescenta Lopes.
"O Governo Federal cumpriu seu papel nesse caso. O Legislativo também, aprovando a lei e lutando pelo seu cumprimento, com a Frente Parlamentar em Defesa do Piso dos Professores. Só o Judiciário, infelizmente, não entendeu plenamente a favor desse direito que é também uma necessidade histórica da educação brasileira", complementa Chico Lopes.


INFORMAÇÕES/ENTREVISTAS: 9991-4537 - DEP. CHICO LOPES
ASS. IMPRENSA - 9994-4769

quinta-feira, 18 de dezembro de 2008

Comarca de AURORA realiza diplomação dos eleitos







Com um auditório completamente lotado o juiz da comarca de Aurora no Cariri Dr. Antonio Teixeira juntamente com o promotor de justiça Rembrandt Esmeraldo realizou na tarde da última quarta-feira às 15h a solenidade de diplomação dos candidatos eleitos nas eleições de outubro. Autoridades, lideres partidários e a população compareceram ao fórum Desembargador Jaime de Alencar Araripe no bairro Araçá para conferir de perto o acontecimento. Estiveram presentes, além dos noves vereadores eleitos que comporão a Câmara, o novo prefeito Adailton Macedo e o seu vice Antonio Landim, ambos acompanhados de suas esposas, familiares, amigos e correligionários.
Logo na abertura da sessão, o Dr. Antonio Teixeira externou seu contentamento pelo transcurso do processo eleitoral ocorrido de maneira ordeira e pacífica no município. Falou ainda do grande exemplo de democracia expresso nas urnas e por fim, desejou sucesso aos novos representantes do povo aurorense, tanto no Legislativo quanto no Executivo. O mesmo pensamento também foi compartilhado pelo promotor de justiça Rembrandt Esmeraldo que no seu pronunciamento pôs em relevo a importância da tolerância, da harmonia e da necessidade de o novo gestor municipal, assim como todos os edis se unirem num só pensamento em defesa de melhoria para o município e para o povo em geral. Já o prefeito eleito Adailton Macedo, reafirmou que tudo o que prometera em palanque será posto em prática no decurso dos seus quatro anos de gestão. Ainda, externou o seu reconhecimento pelo valoroso trabalho desempenhado pela justiça eleitoral em todo o decorrer da campanha. Aproveitou o ensejo, inclusive, para anunciar aos presentes às primeiras ações do seu governo que, segundo ele, serão iniciadas a partir de janeiro; fruto dos seus primeiros contatos com as lideranças políticas amigas de Aurora. Bem como das suas conversações com diversas autoridades da política cearense em Brasília e na capital alencarina. Por fim, assegurou que o seu mandato priorizará o social, como forma de desenvolver o município como um todo, a partir das reivindicações mais elementares da população, citando como exemplo, entre outras coisas, o verdadeiro pacto firmado em prol de uma política de segurança pública efetiva e eficiente para o seu município. Após a solenidade um coquetel foi oferecido aos presentes.

Relação dos eleitos:
Prefeito – Adailton Macedo(PSDB)
Vice – Antonio Landim(PSC)

Câmara de vereadores:
Chico Henrique(PMDB)
Paulo José(PRP)
Aderlânio Macedo(PSDB)
Darc Landim(PSC)
Oliveira Batista(PSDB)
Fco Erieudes(PSC)
Maria Iracilda(PSB)
Deci(PV)
Gerismar Pereira(PSB)___
Por: José Cícero
Aurora - CE.

Google+ Followers