terça-feira, 28 de janeiro de 2014

ARTIGO: Lindaura Pinheiro: Uma palestra arrebatadora...*

Por José Cícero
Educadora Lindaura Pinheiro durante palestra para professores aurorenses
Por algum motivo alheio ao meu senso interior não estava disposto a sair naquela noite de segunda-feira. Diante dos meus olhos duas obras, cujas leituras inconclusas me convidavam à continuação como que a toque de caixa. Na pole position da fila de espera, dois livros justapostos sobre meu biró abarrotado de papéis avulsos, dentre os quais, um se destacava à guisa de prioridade. Ou seja, um elegante convite para o 1º encontro pedagógico de 2014 sob a égide da secretaria de educação local.
No mais, como de resto, tudo normal sob o passar interminável do tempo perante o relógio estampado tal qual uma miragem na minha parede.  Sempre fui um sujeito que me recusei a ser cronometrado como mais um condenado a morte em meio ao rebanho a caminho do matadouro. Nunca aceitei com naturalidade esta sentença gregária do mundo dos bárbaros.
Enfim como naufrago da dúvida terminei optando pelo acontecimento socioeducativo. Conquanto, sem nenhum prejuízo, os livros haveriam de me esperar mais um pouco. Já o evento nem tanto.  Fui então. 
Organização primorosa. Como primorosa deve ser tudo pertinente à educação. Presumo ser este apenas um dos principais ingredientes para a tão esperada motivação a uma boa aprendizagem. 
Chegando adentrei o espaço do evento.Todos os assentos reservados aos participantes estavam literalmente ocupados. Professores, professoras e discentes não somente da cidade, como igualmente de todos os quadrantes do município, além de convidados outros. Algo realmente digno de nota; levando-se em conta a concorrência. As peripécias do tal Félix na novela (des)Amor à vida da santa TV Globo que neste contexto, diga-se de passagem é um dos instrumentos mais fortes em desfavor da educação brasileira. Além do demoníaco big brother. Afora isso, tudo o mais não fugia à normalidade das coisas. Todo o resto seria pura convenção ou como dizem os teóricos: práxis absoluta.
Confesso contudo que os livros que deixei em casa ainda martelavam na bigorna insistente do meu cérebro. Porém, estava decidido a assistir apenas a abertura solene do ato. Puro convencionalismo social. Logo retornaria para casa, a fim de dá prosseguimento a minha simplória leitura minha de cada dia.
Mas eis que, por um desses motivos estranhos que não se explica com palavras fui, por assim dizer, ferroado pelo marimbondo da minha própria curiosidade. Um insight ou coisa do gênero. Queria então, conhecer a dialética e a eloquência da tal palestrante que, para completar eu nem sequer conhecia por nome. E assim indaguei  como um juiz inclemente o meu espírito que às vezes me dava a ligeira impressão de ser bem informado e universal. Mas não. As particularidades do mundo, assim como as novidades da vida são tudo o que compõem aquilo que a gente denomina com razão de surpresa superlativa. Sem o qual viver não teria a menor graça...
- Mas como eu nunca sequer ouvira  falar nesta tal educadora?  - Perguntei para o meu Eu profundo. Não obtive resposta. Havia de a descobrir como quase tudo que aprendi na vida, isto é, por mim mesmo. Fiquei para a palestra.
De repente, lá  estava ela diante de mim. Uma figura pequena em estatura. Mas que quando começou a falar se agigantou de maneira surpreendente diante da plateia como um Nebo de conhecimento a emergir das águas. Tamanha foi a empatia sinérgica com que arrebatou todos os que a ouviam. 
Uma professora notável não pela arrogância como tem sido comum aos que expõem seus títulos como um tridente do demônio na ânsia de amedrontar os mortais comuns. A simplicidade daquela mulher guerreira e exemplar era algo tocante, audaz e cativante.
Professora Lindaura com José Cícero
Além de inteligente e profundamente humana, a fala daquela mulher prendia a atenção até mesmo dos que não estavam acostumados a ouvir elucubrações mundanas.  Conquistara ela pela palavra os corações mais ferrenhos e endurecidos pelas agruras da vida. 
Deveras sui generis era o  seu senso de humor. Quem sabe uma   interessante estratégia para dominar seus ouvintes. De sorte que bater palmas não era o bastante. O suficiente necessário seria beber na sua fonte abundante e exuberante de sabedoria. 
Diante da sua fala o silêncio se faria grande ferramenta de aprendizagem. Uma dádiva mais que simplesmente desejada. Uma exigência granítica.
Lindaura Pinheiro -   Uma palestrante das mais extraordinárias que já tive a sorte e o privilégio de ouvi, sobretudo pela elegância e a força racional das suas ideias. Verdadeiro martelo por meio do qual se aprende a quebrar velhos paradigmas.
Ouvi-a atentamente do começo ao fim. De modo que, não apenas ganhei minha noite pelo valor incomensurável do que aprendi. Mas pelas informações e exemplos que nos ficam pela vida inteira. E isso, convenhamos, não tem apreço. Isso é o que poderíamos muito bem chamar de riqueza fundamental. Razão porque sempre aprecio as coisas do imponderável. Como me aconteceu naquela noite de segunda-feira.
Saber de Lindaura Pinheiro com suas ideias me foi uma interessante descoberta. Um cálice transbordante de conhecimento que nos anima cada vez mais a acreditar que nem tudo está perdido. Que nem todos estão dominados pela avalanche da mesmice, da mediocridade e da ignorância.
Conhecer um pouco do pensamento, da lida e da vida de Lindaura Pinheiro  foi um acontecimento realmente surreal. Uma grata surpresa e satisfação para o meu  ego aprendiz sempre  irrequieto perante o eterno vislumbre do espetáculo da vida pelo biombo do conhecimento educacional.
Por seus ensinamentos, sempre haveremos de acreditar gritando bem alto que a vida vale a pena. E ainda, na efetiva possibilidade de um mundo possível e bem melhor para todos.
Por tudo isso, diria por fim que foi indubitavelmente, uma palestra arrebatadora e singular.
........................
José Cícero
Secretário de Cultura e Turismo
Aurora - CE.
Fotos: Adriano de Sousa Anão.
LEIA MAIS EM:
e no Orkut e  Facebook.

Nenhum comentário:

Google+ Followers