sexta-feira, 13 de setembro de 2013

Após 37 anos filho de Aurora viaja de Brasília de bicicleta para visitar sua terra...

Por José Cícero

'Um viajante do mundo que nunca teme o caminhar'. É assim que muito poderia se definir o jovem senhor Roberto  Carlos Macedo Silva de 41 anos. Natural de Aurora, atualmente residente em Brasília e que a exatos 37 anos havia deixado a sua terra natal então com 4 anos de idade. Por todos estes anos alimentou  a vontade de conhecer seu torrão de origem e rever parentes que aqui ficaram. Mas o fez de um modo original, quiçá absolutamente diferente. O que ele denomina  de uma aventura romântica, quando por fim decidiu vir de bicicleta, já que aspirava refazer o mesmo percurso que fizeram os seus pais quando emigraram para à capital federal na busca de melhores dias. 
E o fez com ousadia. Na bagagem, além do unicamente necessário, um pouco de coragem e muita utopia. Algo que, segundo ele, nem pesou tanto nos lombos da sua única companheira de viagem - uma velha bicicleta amarela(adaptada). Uma monark sua companhia por cerca de 25 dias de penosas pedaladas até enfim chegar à Aurora. Fato ocorrido na manhã da última quarta-feira, dia 1º de setembro. Uma aventura realmente para poucos.
Filho do casal aurorense o sr. Lourival Vicente da Silva e da sra. Maria Leite Macedo, o aventureiro Roberto Carlos se diz  evangélico da igreja Batista e um voluntário do bem que resolveu conhecer parte do Brasil na direção do seu torrão. Segundo ele  no sentido de melhor compreender um pouco mais da alma humana e a vida do povo brasileiro, principalmente dos seus irmãos sertanejos e nordestinos. Uma caminhada incessante, como quem procura além de si mesmo, encontrar os motivos para a sua verdadeira felicidade. Uma andança corajosa e destemida, onde o cansaço não passara de um mero detalhe. Um reencontro consigo mesmo a partir do mito natal, o  seu nicho de nascimento.
Ouvidor C.Herivelton e R.Carlos
E uma vez chegando em Aurora, o aventureiro foi recebido inicialmente pelos agentes do Demutran, em seguida pelo pessoal da prefeitura municipal( gabinete e o ouvidor municipal Cícero Herivelton). Logo foi orientado acerca dos endereços dos seus familiares: Macedo, Leite e Silva. No rol das suas lembranças mais antigas Aurora era apenas uma imagem distante quase perdida na poeira cósmica do passado. Uma via-láctea de absolutas reminiscência. Um quadro desbotado quase poético de uma vilazinha prenhe de florestas, cortada por um rio fluente sob um sol dos trópicos, tal qual um narrativa ipse literis  de uma ilação romântica da pena do próprio poeta autóctone Serra Azul. 
Quase de um fôlego visitou vários dos seus parentes ainda residentes na cidade. Em seguida foi até o distrito de Santa Vitória lugar de origem do seu clã. Foi bem recebido com a velha e boa hospitalidade do povo sertanejo. Regressar as nossas  raízes ancestrais é como se nunca tivéssemos indo embora...Com um jeito simples e amigável caiu nas graças, não somente dos parentes, mas de tudo quantos o conheceram. Gostou do que viu. Do povo, da hospitalidade e da sensação quase inenarrável de ter pisado novamente no sagrado chão onde nascera um dia. Respirar seu ar bucólico. Sentir a concretude das suas coisas... Um sentimento que eleva todos aqueles que mantêm-se de algum modo ligados às suas raízes mais distantes. Nenhum sentimento de mundo pode ser verdadeiro e realmente universal se não partir do seu quintal. E isso o aurorense Roberto Carlos provou e fez com a maior das elegâncias. Por um momento de trégua, se desfez da velha sensação de 'não-lugar', coisas das metrópoles...
Roberto ao lado de JC e Fco Araújo
Na quinta-feira(12) esteve visitando a secretaria de cultura local sendo recebido pelo secretário José Cícero e equipe da pasta(ver fotos). Ocasião em que prestigiou a exposição de fotografias antigas e obras de artes de autores aurorenses. Passou por diversas ruas da cidade. Contemplou o  Salgado, a igreja matriz, o casarão do coronel Xavier. Além da antiga estação ferroviária e andou demoradamente pelas ruas do bairro Araçá onde igualmente conheceu antigos vizinho dos seus país do riacho do Bordão de Velho.
"Minha cidade, além de bonita e bem cuidado superou meus sonhos quando por todos este anos imaginei conhecê-la. Revê-la na sua integridade de coisas e de pessoas. Estou feliz, E isso é algo que nao tem preço". Certamente boas impressões da sua terra, agora irão compor o conjunto daquilo que o mesmo levará de volta na velha bicicleta monark, além da saudade e da sensação que vivera de um modo deveras especial. Aquilo que muitas vezes a gente chama por absolutamente falta de outro nome - simplesmente de momento eterno.
Mas a aventura de Roberto não terminou aqui. Na madrugada desta sexta-feira(13) pegara a estrada de volta a BR-116 na direção da capital Fortaleza onde visitará outra gama de familiares. De lá  é que retornará para Brasília de avião.  Refeito dos esforços e do cansaço, tem o propósito de escrever um livro - 'Pedalando com Jesus', narrando em detalhe toda a sua aventura, bem como as suas descobertas interiores.
 Quando perguntado se o cansaço foi um obstáculo na sua viagem. Ele afirmou que não. As dificuldades foram mesmo os momentos de solidão, o medo da criminalidade e as  estradas que enfrentou no mais das vezes  perigosas e sem acostamento adequado. Sem esquecer a escassez de água e alimentação em grandes trechos das rodovias. O pernoite também foi um problema considerável quando foi obrigado a dormir nos locais mais ermos e  inusitados, como nas capelinhas e ao lado das cruzes que beiram as estradas deste país. Mas tudo isso faz parte, disse ele.  Caso necessário, começaria tudo de novo... Valeu a pena!
Nossas sinceras saudações a este aurorense de boa índole e de coragem.
...................
José Cícero
Aurora - CE.
 Fotos: Adriano de Sousa Anão
LEIA MAIS EM:

e no Orkut e  Facebook.

Nenhum comentário:

Google+ Followers