terça-feira, 15 de abril de 2014

Foto Intrigante é feita por jovens às margens do Rio Salgado em Aurora

Foto com imagens estranhas: ver as partes circuladas

Fotografia feita nas margens do Salgado vem chamando a atenção e a curiosidade de internautas

Sempre que o rio Salgado enche logo se transforma de vez num verdadeiro ponto de atração. Um autêntico cartão-postal de Aurora, município onde percorre cerca de 42  km do seu território e praticamente divide a cidade ao meio. 
Alguns não se contentam apenas em registrar sua beleza de modo fotográfico, mas arriscam, inclusive, um bom banho e um mergulho como nos velhos tempos em que o "rio do Cariri" era mais romântico e mais saudável.
Atualmente  com a popularização dos aparelhos celulares munidos de câmaras, fotografar a beleza natural do velho rio tem se transformado numa verdadeira febre pela população. De forma que, diversas imagens do rio aurorense tem sido postadas todos os dias nas redes sociais, principalmente no Facebook e mídias afins. 
Foto da enchente do Rio Salgado em Aurora - CE.
Mas, uma imagem em especial feita na tarde do último domingo tem chamado a atenção pela presença de um detalhe no mínimo estranho e pra lá de inusitado. Pelo menos é o que acham todos os que já viram e comentaram a foto publicada inicialmente na internet(facebook).
Depois de tirar diversas fotografias às margens do rio num local entre o sítio Santa Bárbara e o Poço do meio(atrativo natural) já nas proximidades da sede(Alto da Cruz) a jovem Francisca Patrícia se assustou quando ao chegar em casa viu o que havia aparecido na foto que fizera ao lado de um outro amigo. Uma pessoa estranha ao ambiente apareceu no registro fotográfico, quando na imagem é possível se ver partes do seu corpo. (Ver foto 1ª acima). Outros registros acerca do tal acontecimento ainda não foram disponibilizados.
Equipe entrevista jovem da foto
Reportagem do Blog de Aurora entrevista principal protagonista do fato:
Com vistas a checar a veracidade do fato a equipe da secretaria de cultura(Secult)  e do Blog de Aurora(foto ao lado) compareceu na manhã desta terça-feira(15) à residência da jovem Patrícia com o fito de confirmar toda a história. Além de verificar in loco a imagem original feita via celular que, aliás, conforme avaliou a equipe, parece demonstrar não ter havido nenhuma montagem ou qualquer outro tipo de artifício sensacionalista.
POSSIBILIDADES EXPLICATIVAS:
 
Prof. JC e equipe durante entrevista
De acordo com o editor do Blog de Aurora o professor José Cícero, (caso não seja um fato simples) há duas possibilidades de se explicar razoavelmente o acontecimento. A primeira seria por meio  da parapsicologia sob a ótica da chamada projeções mentais sugestionadas ou pela dupla fotografada ou pelo próprio indivíduo que realizou a imagem.  
A outra, seria pela visão Espírita com outros desdobramentos de pessoas já desencarnadas com ou sem ligação direta com os envolvidos nas imagens. No entanto, ressaltou, que o fato necessitaria de uma análise mais profunda, criteriosa e acurada, principalmente por parte de especialistas em ambos os assuntos, concluiu.
..................................................
Da redação do Blog de Aurora
Aurora - CE.
fotos: anexas Jean Charles
LEIA MAIS EM:
e no Orkut e  Facebook.

quinta-feira, 10 de abril de 2014

AURORA: Linha do antigo Trem em completo abandono*

Por José Cícero
Imagens da linha férrea de Aurora no mais completo estado de abandono e deteriorização

Por mais que acreditemos numa sociedade tida como consciente, engajada e minimamente politizada acerca dos seus direitos e deveres sociais. Com relação ao transporte ferroviário no entanto,  nestes últimos anos  está ficando cada vez mais difícil explicar a razão de todo o silêncio histórico, assim como  da grande omissão  diante de uma perspectiva essencial e estratégica para o desenvolvimento do país como tal deveria ser esta via de transporte para o desenvolvimento do país. Mas não. 
A  atual situação de abandono e desmantelamento por que passa o sistema ferroviário brasileiro em geral e cearense em particular, aponta para a falta de uma visão estratégica, além de um total descaso da sociedade política  para os interesses populares.  O que é muito mais visível no nosso interior.

O mais triste é saber que, mesmo tendo se constituído num dos mais significativos fatores de progresso do nosso país, notadamente no interior, o trem vem sendo tratado nos dias atuais (pela classe política e empresarial) como um exemplo de atraso. Ele que, por sinal  representa, além de um imenso patrimônios do povo brasileiro, principalmente  dos pobres e  desafortunados dos sertões  nordestinos - um legado histórico.  

Algo por demais lamentável, vez que o transporte ferroviário foi, indubitavelmente, o maior exemplo de progresso e de modernidade a exercer pela primeira vez na história o seu  papel pioneiro nos rincões do nosso Cariri. Coisa que em Aurora, por exemplo, não foi lá muito diferente.

Tendo inaugurado sua estação no dia 7 de setembro de 1920 num ato festivo dos mais concorridos, a cidade de Aurora por vários anos ficou sendo o entroncamento final dos trens da então  Rede Viação Cearense(RVC). Recebendo assim grandes levas de  viajantes, mercadorias e  comerciantes de todo o Cariri, bem  como de parte da Paraíba e do Pernambuco.

Bons tempos aqueles em que o comércio aurorense avançara consideravelmente. Por assim dizer, o primeiro sinal de um progresso alvissareiro que, só em meados da década de 80 quando o trem de passageiro fora finalmente desativado Aurora, assim como diversos outros municípios e lugarejos situados às margens da linha férrea iriam se ressentir até os dias atuais da sua presença.   
Uma maldade política e elitista quase sem nenhum precedente na nossa história. Mas que a população, infelizmente, até hoje parece  não ter compreendido  o verdadeiro  grau deste prejuízo visto  ainda continua votando nos seus algozes. E o que é pior. A volta do trem não ocupa sequer um mínimo  lugar na agenda dos debates.

Em suma, nosso sistema ferroviário agora é um descalabro. E as imagens, como se diz, falam mais do que quaisquer palavras. 
Incrível como nem a população nem os políticos, quer sejam por cegueira, desinformação ou por má fé  não estão nem aí para esta problemática, cujos prejuízos já começam a ser sentidos e no futuro deverão ser ainda maiores.

Mas a memória ferroviária ainda é algo que nos toca fundo. Principalmente junto aos que tiveram a felicidade de um dia vivenciar de perto a existência do trem em suas intermináveis idas e vindas. Ligando e interligando por anos a fio os sertões ao litoral. Misturando assim numa só plataforma brancos e pretos, ricos e pobres, gente povo e políticos. Choros e risos, acenos e abraços. Encontros e desencontros, enfim, chegada e despedidas... O trem é por fim, uma saudade que não passa. Razão porque não haveremos de aceitar a chamada memória do esquecimento. Por fim, uma das nossas reminiscências afetivas mais altivas e ressabiadas.   
Afinal de contas, quem dos contemporâneos do trem de ferro será capaz de olhar agora para as linhas de ferro abandonadas, cobertas de matos; sem ter que senti por dentro um misto de saudade e indignação? As belas pontes em péssimo estado de conservação. Os dormentes carcomidos, os lindos prédios das antigas estações no mais das vezes( com raras exceções), deteriorados caindo aos pedaços sem recordar do glamour de uma passado de glória.  Sem se deixar ser tocados pelas recordações de um tempo ido que não volta mais?
Mesmo assim é bom saber  que  o fim do transporte ferroviário teve um propósito. Quer seja o de servir às elites empresariais: vias de regras, montadoras de automóveis, empreiteiros, lobistas e empresários do transporte rodoviário em geral.  Os grandes patrocinadores da maioria dos políticos carreiristas que há muito vêm destruindo como verdadeiros cupins humanos este país. Razão da interrupção e do silêncio que até hoje alimentam os homens de Brasília em relação a revitalização do  trem.

Por isso, nunca é demais afirmar que o fim do Trem – um meio de transporte barato, eficiente, menos poluente, seguro e eminentemente popular constitui um crime dos mais gritantes. Algo que feriu de morte o verdadeiro interesse da nação. Um crime de lesa-pátria.

O mais curioso: Para ludibriar o povo e mais uma vez  agradar os patrocinadores políticos – os magnatas do poder -  inventaram a tal Transnordestina, por sinal mais um embrulho  que,  de tão cara e custosa está sangrado impiedosamente as parcas finanças da nação. E, o mais lamentável: Em boa parte estas obras estão sendo construídas em paralelo as  linhas e aterros já existentes. Ora, por que não aproveitam as que já existem?

Enfim, não pode  haver explicação sensata para o estado de total abandono e sucateamento por que passa a antiga malha ferroviária da então Rede Ferroviária Federal S.A(Reffesa). Para piorar, os ricos do interior ao longo da via férrea estão agora invadindo os espaços e se apropriando do que ainda resta deste patrimônio do povo.  Outra vez a população está sendo passado para trás...

Uma vergonha em todos os sentidos contra qual deveriam se indignar todos os verdadeiros cidadãos deste país.  Porque no fundo, temos uma imensa dívida de gratidão com o trem. Talvez o maior legado já ocorrido nos grotões dos nossos sertões. Posto que, foi definitivamente o trem quem colocou o sertão de vez  no mapa do Brasil.
...........................................
Prof. José Cícero
Secretário de Cultura e Turismo
Aurora - CE.
fotos:Jc

LEIA MAIS EM:
e no Orkut e  Facebook.

quarta-feira, 2 de abril de 2014

50 ANOS DA DITADURA MILITAR: ANOS DE CHUMBO NUNCA MAIS... Por José Cícero*

Ao rememorarmos sem nenhuma nostalgia, os 50 anos do golpe militar que instituiu a ditadura no nosso país, há que voltarmos nossas atenções para uma recapitularão história de todos aqueles fatos. E com isso, possamos(quem sabe) aferir no seu devido grau, o quão daninho, maléfico, desumano, retrógrado e criminoso foi todo o regime de exceção, imposto a duras penas à nação brasileira pelas elites raivosas e os militares criminosos desta terras tupiniquins.. 
Destarte, todo um aparato político infernal arquitetado sob o patrocínio, o interesse e a batuta do governo norte-americano. Um verdadeiro crime de lesa-pátria e lesa-humanidade pelo qual deveria se debruçar  mais atentamente a tal 'comissão da verdade'. E que assim como ocorreu recentemente no  Chile, Uruguai e Argentina, seus verdadeiros culpados(ainda vivos) possam ser  julgados e, uma vez condenados  paguem na cadeia todos os crimes horrendos e absurdos que cometeram. Incluindo, a urgente revisão pelo Congresso Nacional da chamada Lei de Anistia.
Enfim, só após este histórico momento de absoluta reflexão talvez seja  possível se avaliar a real importância da nossa atual democracia, da  liberdade e do estado de direito como argamassas essências à formação da nossa autêntica cidadania. Conquistas que, diga-se de passagem, não aconteceram por acaso nem da noite para o dia. E, tampouco vieram de graça na base de benesses, flores e confetes. Mas ao custo de muita luta, sangue, suor, lágrimas e mortes. 
Um preço, como se nota, dos mais altos, mas que infelizmente, muitos brasileiros, sobretudo os mais  jovens em particular e os despolitizados em geral quase sem nenhuma compreensão histórica; ainda não se deram conta do valor e do sofrimento que foi toda a construção deste imenso legado. Algo que temos a obrigação de defender com unhas e dentes em nome das gerações vindouras.
Portanto, a passagem dos 50 anos de instalação da ditadura militar no Brasil é um marco, não somente simbólico como a princípio pode parecer para muitos, mas um chamamento a todos os brasileiros para  pensar e repensar o país que queremos daqui para frente. Para refletir sobre os efeitos  do passado como um aprendizado para o presente e o futuro da nação. Ou ainda, para que se possa avaliar o que de fato estamos fazendo da democracia que temos e vivenciamos no dia a dia. 
Que futuro nos aguarda de agora em diante,  a partir dos nossos erros e vacilações. Das escolhas que fizemos ou que tememos fazê-las doravante com este instrumento chamado liberdade de escolha e de pensamento. Por fim, que este passado negro, possa pelo menos nos situar devidamente no mundo das ideias, como na compreensão do presente. E assim, reavaliemos o nível da escolha que optamos para o horizonte do futuro e  do presente.
Malgrado todos os males, a ditadura foi, por assim dizer, um grande exercício de resistência, além de um aprendizado que há de refletir no campo ético, moral, social e político do nosso país. E isso não é pouca coisa diante dos perigosos momento por que passara o país. Que a sociedade brasileira em seu conjunto articulado e pensante, possa hoje refletir positivamente sobre tudo isso. Notadamente agora que estamos às portas de novas eleições das mais importantes para a consolidação de um país que se almeja forte e moderno no cenário mundial. 
Razão da premente necessidade que temos de valorizar o quanto antes esta jovem democracia... E que a cultuemos com mais consciência ética e protagonismo político, como ingredientes fundamentais para a edificação sólida de um país efetivamente justo e resolvido social e democraticamente.
De modo que, saber desta dura história de horror  que assinalou os chamados "anos de chumbo" é uma exigência crucial(ou pelo menos deveria ser), sobretudo para a formação intelectual  e crítica de cada cidadão contemporâneo. Quem sabe, uma boa maneira com que cada brasileiro(sem exceção) exercitará seu empoderamento sociopolítico no sentido do seu pertencimento, enquanto cidadão livre, feliz e consciente. 
Assim, valorizar o regime democrático que ora temos a partir da observação histórica acerca da ditadura militar será realmente, a certeza de que a sociedade brasileira amadureceu e, assim escolhera o melhor caminho. Ainda, que jamais se permitirá a outro descalabro como tal ocorreu em abril de 1964. E isto certamente, nos ajudará e muito, no salutar entendimento do nosso verdadeiro papel social. 
Então, sem mais delongas, abominemos coletivamente para todo o sempre, qualquer forma de poder que não esteja amplamente  alicerçada na democracia como um bem da humanidade como um todo. Nunca mais regime de exceção!
Que as mortes por assassinatos dos  nossos bravos lutadores - homens e mulheres das mais distante regiões deste país e das mais diferentes classes  sociais ou bandeiras ideológicas, não possam ter sido em vão. Que o sofrimento e toda sorte de torturas e sevícias  impostas aos cidadãos brasileiros pelo regime ditatorial, nunca sejam apagados da nossa memória  história. 
Quem sabe, uma forma empírica de fazer com que as novas gerações, tanto do presente, quanto do futuro jamais se  permitam que algo parecido possa acontecer de novo... Porque, desde então, à luz da democracia, como diria o poeta todos haveremos de estar condenados à liberdade. 
Que de agora em diante o  antigo sonho popular da felicidade coletiva não nos seja tão somente uma utopia fria, mas uma realidade deveras real, papável e concreta.
Por isso gritemos bem alto e em bom som: Ditadura nunca mais!  Viva a democracia! A liberdade e o estado de direito... Simplesmente porque o povo unido e consciente sempre pode mais!
..................................
Prof. José Cícero
Secretário de Cultura e Turismo
Aurora - CE.
----------------------
Da Redação do Blog de Aurora
LEIA MAIS EM:
foto da Internet

Google+ Followers