terça-feira, 26 de julho de 2011

Antonio da Piçarra: Histórias que ouvi contar - Por José Cícero


1- Tenentes: M. Neto e A.Rocha. 2- Sabino Gomes. 3- Lampião e irmão.

"No decorrer de uma producente viagem Cangaceira e deveras inesquecível que fizemos(Eu, Bosco, o bom francês Jack e Severo)com vistas a comemoração do 1º Centenário de nascimento de Maria Bonita em Paulo Afonso-BA, além de um verdadeiro Tur por Angico-SE, Delmiro Gouveia-AL, Serra Talhada –PE... dentre outros... Passamos inicialmente sob a batuta do Manoel Severo pela fazenda Piçarra(entre Porteiras e Jati) onde fomos recepcionados pelo gentman Vilson – neto do célebre coiteiro de Lampião. Ocasião em que presenciei a rica e proveitosa conversa que de modo conciso passei pro papel e, por via de conseqüência, o nobre confrade MENDES, além de ilustrar de modo formidável e sugestivo também publicara no seu Blog e eu, de novo e novamente aqui a transcrevo para os meus, apenas com alguns acréscimos do original pretérito. Vejamos então o que ora se segue: JC...

“José Cícero e o Mestre Severo”

José Cícero e Mestre Severo


Mestre Severo!
Saudações catingueiras...

******

Ainda com relação ao que disse Vilson a mim, a você, Bosco André e Jack de Witte:

José Cícero, Bosco André, Jack de Witte e Vilson(no banco histórico)

...com relação ao ótimo e fidedigno relato feito pelo Vilson Neto quando da nossa recente passagem com destino a Paulo Afonso na Bahia, diria que o mesmo constituiu um informe histórico dos mais relevantes, sobretudo para esclarecer "escritos", muitas vezes depreciativos com relação à suposta traição do Sr. Antonio da Piçarra - avô do Vilson atual proprietário-herdeiros da memorável fazenda.

Seu Antonio da Piçarra no seu banco

Confesso que fiquei sensibilizado no instante que o Vilson relatara o que o velho da Piçarra dizia acerca da coação que sofreu para proceder como tal.(ver a questão da suposta traição). Notadamente quando após o diálogo que teve com o sagaz tenente Arlindo Rocha(naquele ano) ante as ameaças veladas usando para tanto a inegável e conhecida ferozidade do chefe de volante nazareno Manoel Neto, que aliás já se encontrava na região. De modo que, sem saída e temendo pelos seus, o velho coiteiro assaz contrariado teve que ceder...
No entanto, também não me esqueço da parte mais comovente segundo as palavras de seu neto naquele momento, quando todos nós estávamos ali sentados no mesmo banco caseiro e centenário que pertenceu ao velho.
Um testemunho inanimado no qual a história parecia está ali mesmo ao alcance das nossas mãos. Uma relíquia doméstica, na qual certamente tanto o coiteiro quando Virgulino com parte do seu bando havia(como eu naquele instante histórico) também sentado.

Seguia Vilson no seu diálogo informativo...

"Tendo desconfiado da grande demora de Antônio da Piçarra o cangaceiro Sabino se dirige para Lampião e fala de modo eufórico, quase esbaforido:

- Capitão, capitão. Tô achando que Antoi da Piçarra lhe traiu, pois tá demorando além da conta. Já era tempo dele ter vortado com as encomendas e tudo...

Bosco, Severo, Vilson e Jack - o francês

Ao que Lampião, com absoluta segurança replica:

- "De jeito nenhum. Isso não! Naquele eu confio sem medo. Se Antoi da Piçarra cavar um buraco no chão e mandar eu entrar, eu entro sem medo".
Depois de ouvir aquela resposta da própria boca de Lampião, Sabino de se afastou e deu as costas pra seu chefe mas, continuou olhando na direção do caminho... Permaneceu desconfiado daquela delonga atípica do velho coiteiro, que sempre foi rápido, leal e prestativo.

Conforme Vilson, o velho Antonio – seu avô, sempre contava essa história cabisbaixo (que ficou sabendo anos depois do trágico episódio).Sempre narrava as palavras de crédito de lampião com águas nos olhos...
_ Meu avô era uma homem forte e de palavra. Deve ter sofrido muito com tudo aquilo aquilo, disse.

A família também lhe pressionou com temor das perseguições e represálias do Arlindo e do Manoel Neto. As notícias que chegavam não eram das mais boas. Eram de ameaças. E de que Lampião não estava "bom das pernas" com seu bando exausto e sem munição.
As lágrimas que fluíam sempre dos olhos do avô quando tocava no assunto era a maior prova de que sofreu sobremaneira quando teve que tomar aquela decisão de indicar onde se encontrava Virgulino(seu amigo) junto com seu bando. A segurança da sua prole, de certo modo falou mais alto no seu coração sertanejo daquele homem quase solitário naqueles grotões do mundo. Onde os ventos do cangaceirismo sempre(vez por outra) davam suas voltas.
- Há quem dissesse que depois desta suposta traição, Lampião jurara vingança de morte ao velho da Piçarra. Até piada disseram que fizera com isso. Mas, felizmente nada disso aconteceu. Seu Antonio viveu muito e deu adeus à vida no seu leito tranquilo.
Também nos olhos de Vilson, mesmo depois de tantos anos, puder perceber que aquele acontecimento, também de algum modo o tocava fundo no seu íntimo. Quem sabe aquela história o fizera provar do mesmo sentimento amargo que naquele tempo mexera com o seu velho avô dono da Piçarra.
E eu cá comigo, pensei um pouco afastado olhando aquele chão onde tudo aconteceu. - De fato, a vida inteira para qualquer cristão do mundo é feita de escolhas. Mas, quantas escolhas ainda teremos que fazer?... Quantas opções difíceis e fatais todos têm que a elas se entregarem um dia por si mesmos, de corpo, alma, espírito e valentia em determinados momentos cruciais da vida.
É, não deve ter sido nada fácil para o provecto coiteiro quase abandonado vivendo sua eterna lida nos rincões da sua fazenda Piçarra nas fronteiras de Brejo Santos, Porteiras e Jati.
Talvez por isso, haveremos de compreender no seu contexto mais elástico a difícil e cruel decisão tomada pelo patriarca coiteiro Antonio da Piçarra.

Prof. José Cícero -
Secretário de Cultura
Aurora-CE
www.prosaeversojc.blogspot.com
WWW.Jcaurora.blogspot.com
WWW.blogdaaurorajc.blogspot.com
WWW.prosaeversojc.blogspot.com
jccariry@gmail.com

(*) Este é um comentário do Secretário da Cultura da cidade de Aurora, Ceará, José Cícero, sobre o artigo de Manoel Severo publicado no seu blog "Cariri Cangaço", com o título: ‘Vilson e Antônio da Piçarra’. Apenas eu o ilustrei com fotografias(Mendes).

Publicado em: http://blogdomendesemendes.blogspot.com ainda: www.cariricangaco.blogspot.com
Um bom, interessante, inteligente e prestativo Blog do nosso confrade -
José Mendes Pereira. Recomendo uma visita...(jc)

segunda-feira, 25 de julho de 2011

O escritor tem seu dia, você sabia?

Por José Cícero*

Pela passagem do dia do escritor: Uma singela homenagem.

Um pouco de prosa e verso
porque ninguém é de ferro.
Poema que faço, neste dia.
Escrita gratuíta que distribuo ao mundo
como se fossem flores silvestres
na esperança de entreter um pouco
os românticos da vida.
E até mesmo os brutos
que não conseguem se emocionar
diante de uma declaração de amor infinito
de quem se ama e gosta.
Tampouco se indignar ante a tragédia
que se avoluma e tenta engolir os homens
em meio as guerras, miséria e fome.
Fazendo das nossas musas inspiradorea poéticas
solitárias viúvas, meras mulheres de Atenas.
Anseio quem sabe, neste dia
instigar todo o resto dos que são sensíveis
ao mais profundo dos sentimentos que há em vista,
quer seja: o de amar o mais que possível e que se possa,
como quem se doa por completo a uma causa nobre
Por sua conta e riso,
à sorte da entrega em seus excessos.

Paixão que nos move, tão plena e desmedida
e que até mesmo Deus duvida...
Que neste dia,
toda a poética contida na palavra
possa ser magia plastificada na votande escrita
que de vez se concretiza
nas mãos cheias de dávidas dos que se oferecem
a seu carrasco diante da certeza
e da confiança
que os alegra, anima compartilha.
Que a palavra solta seja de fato uma grita
e muito mais que a escrita,
possa pavimentar a ação do gesto.

para que a paixão deveras
faça-se verbo e em carne se transforme
nos desejos das pessoas que se amam de verdade.
Que tudo o mais seja um milagre
que se pluralize sempre,

e eternamente enquanto dure
em seus momentos e seus instantes eternos.
Tudo em face da energia
contida nas metáforas de um texto lúcido:

Romântico e lírico.
Uma pintada de versos.
Um dedo de prosa.
Uma crônica básica.
Um artigo.
Uma frase amena, poetizada.
Uma declaração de amor
que enobrece.
E até num dístico.

E, depois de tudo:
um presente,
um beijo
e outras coisas
mais fortes e aconchegantes.
Tudo embrulhado num pacote de presente
na mais pura e bela poesia que temos.
Daquelas que se escreve com a alma leve e fugidia.
E que a escrita como um todo, que nos toque fundo
na extensão mais lídima da palavra dita
servindo à busco do encontro e da verdade.
E a comunicação emocional-interativa,
a que sempre sonha toda a humana civilização.
Literatura vasta.
Poética farta
a emanar das nossas veias:
Gesta que nos anima,
como filhos e filhas que pomos no mundo
e temos a obrigação de bem cuidar.
Rosas rubras que regamos
com lágrimas de tristezas momentâneas
e enxurradas de alegrias que nos confortam.
Só isso é o que basta
para quem escreve com idealismo
e paixão sem medida.

Como uma missão de vida ou de morte.
Quão maravilhosa e desprendida é a utopia
de se mudar o mundo!
A partir dos indivíduos que a qualquer preço,
amam
no seu próprio íntimo
Todas as pessoas e o planeta.

Além da arte de tudo o que é belo e humanista.
E em cada Eu profundo - deixemos uma semente.
- Solo fértil.
Sentimentos interiores que nos move
e nos obriga como de resto,
a sermos fortes e poetas...
- Amantes das pessoas,

bem como de todas as espécies e dos livros.
- 'livros, livros à mão cheia'...

Amor: Uma leitura inesquecível
que marca e transcende
qualquer noção imediatista
ou mercantilista da genes fraca
da ignorância,
da prepotência,
da arrogância,
como da própria praxe
capitalista.
Somos em silêncio produtivo
ou mesmo em ócio, em essência:
Benditos solitários da escrita.
- Autênticos carregadores de piano.
Coveiros do mal que se destrói
e morre por si mesmo: o egoísmo.

Cavaleiros do otimismo e da esperança;
jardineiros e mesangeiros de um tempo novo.
escribas neo-modernos e antigos.
Candeia, refrigério, lenitivo e farol.
Sol que se acende e nasce
de agora em diante.
Assim como, para todo e sempre.
Somos um todo.
- Somos simplesmente - Os escritores.
O ofício de escrever
e traduzir os sentimentos do mundo
é tudo o que nos move nesta vida.
...................
José Cícero
Secretário de Cultura e Esporte

Professor e Pesquisador do Cangaço
Aurora - CE.
...............................
LEIA MAIS EM:
WWW.prosaeversojc.blogspot.com

WWW.jcaurora.blogspot.com

WWW.aurora.ce.gov.br

WWW.seculteaurora.blogspot.com

Foto ilustrativa: JC

domingo, 24 de julho de 2011

Um montão de preceitos pra lá de antigos

Por José Cícero

DICAS DE ETIQUETAS

Troque seu pente e sua bolsa chique
por um canivete e todo o seu orgulho besta
por um daqueles espelhinhos de bolso antigo e redondo
de artista e mulher pelada
que a gente comprava nas bancas da feira
por um pequeno trocado.
Troque seu sutiã e toda a sua sexy langerie
por um corpete encorpado
daqueles que se encontrava fácil
aos montes, nos velhos mercados
junto das bancas dos açougueiros
próximo do beco onde se amarravam os cavalos.
- ‘Só no Crato’ mesmo!...
Esse negócio de moda nos dando ordem!
Troque logo, troque...
sua calçinha de renda cearense
por uma bela anágua de viúva.
Suas sombras dos olhos que mais parece um conde Drácula
por uma leve pintada nunca indecorosa,
de pó de arroz, ruge carmin e talco
Alma de Flor e Charisma da Avon que são baratos.
E não esqueça também de comprar
uma latinha de brilhantina para meu presente.
Sabonete febo e Gessy e um baton à base de urucum.
sua cerveja por uma garrafa de Crush, Grapette e Fanta uva.
Troque já seu modes absorvente por uma rudia
de pano branco de algodão murim
um tanto encardido e macio,
mas que pode ser sempre relavado.
Isso não lhe trará nenhum incômodo
além de tudo é muito prático,
quando estiver suada naqueles dias ruins.
Troque também antes que eu me esqueça,
O salão de beleza que é caro e tem muita química
para seus cabelos,
por um bonito conjunto de Bobes verde e amarelo
faça da tua cabeça um verdadeira jardim de Iracema
Cuide bem da sua saúde e da beleza
porque hoje, o que vale é uma natural imagem
Um tanto quanto brejeira e muito mais amena.
Dê um trato nos rachões dos pés e nos calos dos teus dedos
com um pouco de querosene jacaré e creolina.
massageie as tuas ancas com uma emulsão de pedra-una.
Tire todos os cravos do rosto e a sujeira das unhas
com mináncura e uma faca de cozinha pontiaguda,
isso tudo instigará ainda mais a paixão que tenho
e minha libido ficará lá em cima, nas alturas.
Ficarei amarradão nas suas coxas e pernas cabeludas,
seus beijos lambuzados de manga
cheirando a peixe frito e óleo de pequi.
E todo o resto deste segredo que te aconselho
e de graça te indico,
só direi quando sozinhos no banheiro
ou no escuro do teu quarto.
Por último ainda,
corte a tuas unhas com a tesoura da costureira
não use esmalte apenas a loção de colorama.
não fume mais e nem masque fumo de rolo.
Troque seus brincos e pulseira
por um crucifixo barato e milagroso
de padre Cícero e Nossa Senhora das Dores
comprados por um pechincha
na subida das escadas do horto de Juazeiro.
Não raspe seu pêlos, naturais,
eles são tão bonitos - eu acho.
apenas lave-os bem
de modo intenso e demorado
deixe-os sedosos com aquele cheiro
de sabão de coco,
vendido às pampas no balcão da bodega
de seu Nonato.
Quem se ama se cuida assim - eu te digo.
Eis a mulher que todo homem verdadeiro,
e 'inteirado' como eu, ama, deseja e sonha
para toda a sua vida.
Por fim, não coma nada carregado
quando estiver naqueles dias de vermelho.
Por fim, escute no domingo na missa,
todo o sermão do santo padre
mas não esqueça,
numa distância segura
que eu sempre te veja.
.........................
LEIA MAIS EM

WWW.seculteaurora.bl

WWW.jcaurora.blogspot.com
WWW.prosaeversosjc.blogspot.com

WWW.blogdaaurora.blogspot.com
Fotos: Da Internet(Arquivo Nirez)

sábado, 23 de julho de 2011

E agora, o que dizer da nossa seleção brasileira de futebol?

Por José Cícero
Num momento em que o todo-poderoso Ricardo(ou Ricaço) Teixeira está sendo bombardeado por uma artilharia pesada de acusações de fraudes e toda sorte de corrupção, a seleção brasileira volta a dá vexame não nele(claro) – o ricaço e ditador da CBF – mas nos corações futebolísticos e fanáticos de milhões e milhões de brasileiros, apaixonados que são por esta magia, a que todos nós aprendemos a chamar de futebol. Um grande momento de congraçamento cívico e afirmação verde-amarelo.

De modo que todos, a um só tempo, declaram-se envergonhados pela desclassificação do Brasil na Copa América diante do selecionado paraguaio. Uma pena para os torcedores brasileiros. Estes que no geral, são os verdadeiros financiadores deste grande negócio (para não dizer império) chamado futebol-empresa que a cada dia edifica o caixa-forte imperial que vai da CBF até a própria FIFA e suas hostes de apaniguados pelos continentes mundiais a fora.
E aí, vamos inapelavelmente ao encontro dos magnatas Blate, Havelange e Ricardo Teixeira (apenas para citarmos alguns). Todos eles supostamente manipuladores desta verdadeira paixão esportiva nacional e planetária que um dia foi remédio até para pôr tréguas a uma guerra. De modo que até neste aspecto ético, o futebol brasileiro está sendo enxovalhado lá fora, diante da opinião pública mundial.

Contudo, com ou sem vitória do Brasil – só ‘eles’(os cafetões das negociatas futebolísticas mundiais) se mantêm felizes contando seus bilhões. Enquanto a massa trabalhadora de fanáticos, a cada derrota como a última diante do Paraguai, volta para casa tristonhos da vida, juntando as moedas que lhes restaram do troco dos ingressos majorados comprados a peso de ouro aos cambistas, para assim puderem pagar o coletivo.
Ante cada derrota ou vitória do Brasil – eles - (os donos da CBF e da FIFA) riem da nossa cara nababescamente em suas mansões de luxo, contado um por um, os milhões que a torcida brasileira paga compulsoriamente a cada partida, a cada campeonato, a cada copa para assistir um farsa, que como se ver, não tem mais fronteira. E as negociatas se estendem também aos contratos bilionários envolvendo desde jogadores, até os contratos com as grandes marcas e os direitos de transmissão dos jogos.

O futebol do mundo é um mero engodo globalizado. Um estiolamento sem tamanho. Uma ajuntamento de espertalhões levando vantagem sobre os amantes do futebol canarinho e do Globo como um todo.
Mas, e a seleção brasileiro? – Uma vergonha! Eis a definição mais clara para o que temos atualmente em termos de selecionado. Algo de tão ruim e penoso que mal vale a atenção dos nossos comentários de botecos. Mas não é pelo fato de ter perdido mais um jogo e, ainda por cima, para nossos irmãos paraguaios. Isso não! A derrota faz parte do futebol...

O que nos envergonha foi a forma pela qual a seleção deu adeus à Copa América, uma empreitada simples que até o time de Dunga ganhou. As circunstâncias em que ocorrera a sua desclassificação pífia, vergonhosa e humilhante. Uma vergonha para ficar na história. Pênaltis mal batidos que jogam por terra(ou no gramado) todas as antigas glórias e conquistas que em retrospecto o futebol brasileiro já abiscoitou com exímia arte, por intermédio da sua seleção do passado. Empunhando a bandeira antiga, de que aqui praticamos o maior e mais elegante futebol do planeta, ‘eles’ estão entregando nosso filé mignon aos aventureiros dos grandes negócios internacionais. Uma pena...

Mas, o que é que “eles” estão fazendo do nosso futebol? Como ficaremos daqui para frente com este legado, deixado por Teixeira e sua companhia fomenta por poder, dinheiro e ouro? Como anda as nossas categorias de base? - Ora, de mal a pior. A crise por que passa o futebol no Brasil é sistêmica e estrutural. Algo que carecia de uma atitude ousada há muito tempo. Portanto, para a Copa não terá mais nenhum efeito prático. No futebol daqui, infelizmente (como quase tudo no nosso país) não é feito a longo prazo; tudo é momentâneo e episódico. Por esta razão poucos serão os seus efeitos positivos. E, em se tratando de futebol, nem sempre o improviso funciona...

É evidente que a CBF está trombótica e a precisar urgente de sangue novo... De verdade e lisura nos seus procedimentos empresariais de agora em diante. Mas a propósito, por que será que as asas da democracia não valem para a CBF? Por que será que tal entidade se mantém tão distante dos olhos do povo? Supostamente bem acima do bem e do mal? Não. Eles não têm este direito... Que nossos representantes políticos vejam isso, de novo enquanto há tempo. E que não aconteça como no passado com a tal CPI da Nike que num passe de mágica, desapareceu do noticiário e foi arquivada para o todo e sempre.

A seleção brasileira há muito que não passa de uma miragem. Coisa que só Galvão Bueno não enxerga na sua verdadeira dimensão do caos. A seleção do modo que está, não passa de uma mentira daquelas deslavadas, e não vai ser pelo endeusamento mentiroso da Globo que será salva de um vexame ainda maior do que ocorreu em 50; durante a copa que faremos novamente em casa.

A seleção que ora temos é uma ficção montada pela mídia-marrom para enganar a boa-fé dos torcedores brasileiros. Não possuímos um time. Mais um grupo de estrelas fabricadas - jogadores entretidos demais com seus contratos bilionários. Uma legião de janotas encadeados demais com todos os holofotes midiáticos sob suas cabeças. Toda uma cantilena encetada sob a batuta tenebrosa da rede Globo, expressa nas narrativas exageradas do Senhor Galvão Bueno e seus comandados.
Caso não tenhamos uma seleção digna e competitiva para a Copa do Mundo, seremos de cara sérios candidatos a uma humilhação histórica, quer seja, a de perdemos feio dentro dos nossos próprios domínios.
Que até a copa do Brasil, não tenhamos mais nenhum Galvão, Nenhum Teixeira e nenhum Blate e nenhum João Havelange da vida, enxovalhando o nosso futebol que um dia foi tão brilhante que até era exemplo para o mundo. Quem sabe, para o bem e a saúde do nosso futebol-arte.

Mas, por que será que a rede Globo de Televisão sequer toca num assunto que na Europa não quer calar? Ricardo Teixeira está sendo investigado por uma série de transações financeiras, supostamente ilegais envolvendo a CBF e a própria FIFA. Como iríamos saber de tudo isso, não fosse a Record com suas reportagens?
Mas, convenhamos, de novo com relação ao jogo da desclassificação contra o Paraguai, diria que foi fundamental para desfazer toda a farsa construída sobre a suposta armação da imprensa acerca da superioridade de Neymar, Ganso e Cia... A partida com o Paraguai assim como as anteriores serviram para colocar a nu toda a mentira e a invenção do mito: Neymar-Ganso e todos os demais. Eles são, no mínimo, iguais aos atletas comuns do Paraguai(por exemplo) e em alguns caso, se mostraram até inferiores na competição(pasmem) a alguns até da Venezuela. Pelo menos para isso, valeu a desclassificação há tempo da seleção.
Contudo, diríamos que a seleção tem jeito. Resta apenas saber se ainda há tempo para um possível conserto até a copa. No entanto, (quem sabe)com toda a manipulação da CBF e seus aliados, as coisas deverão permanecer cada vez mais difíceis. Ou seja, intocáveis como sempre, do jeitinho que está. Acredite se quiser...

LEIA MAIS EM:
www.jcaurora.blogspot.com

www.prosaeversojc.blogspot.com
www.blogdaaurorajc.blogspot.com

Foto ilustrativa: http://olhosdosertao.blogspot.com/2011/07/globo-chapa-branca-recebe-r-30-milhoes.html

Google+ Followers