quinta-feira, 31 de março de 2011

Verdes Mares Cariri realiza reportagem com escultores de Aurora

A secretaria de Cultura de Aurora recebeu na manhã da última quarta-feira a equipe da TV Verdes Mares Cariri tendo a frente a jornalista Cynthia Tavares e o cinegrafista Júnior Balu. Na oportunidade foi feita uma interessante reportagem acerca do trabalho que a secretaria vem desenvolvendo junto aos jovens escultores do município. A criação do ateliê de arte popular voltado para a escultura criado recentemente pela pasta chamou a atenção da equipe de jornalismo da emissora de TV. Na ocasião a reporte Cynthia Tavares entrevistou, além do secretário José Cícero os escultores Zomim d’Aurora e Painho, que juntos participam do projeto da Seculte-Aurora no gênero da escultura em madeira.



Na realização de um oficina de arte prevista para o mês de julho, a Verdes Mares Cariri já acenou com a possibilidade de retornar à Aurora com vistas a realização de uma nova reportagem, inclusive abordando o grande número de artistas e escultores existentes no município.

A equipe da TV também demonstrou interesse em conhecer e entrevistar o jovem escultor de apenas 8 anos residente no sítio Barro Vermelho. A matéria será apresentada dentro de um quadro recém no jornal do meio dia.

Da Redação do Blog da Aurora e da Seculte.

LEIA MAIS EM:





segunda-feira, 28 de março de 2011

AURORA: Município é representado no Centenário de Maria Bonita na Bahia























Município de Aurora é representado no Seminário Internacional sobre o Centenário de Maria Bonita no Estado da Bahia

Um momento dos mais interessantes e de absoluto aprendizado não apenas para os que estudam o fenômeno do cangaço. Foi assim que o secretário de Cultura de Aurora, professor José Cícero resumiu os quatro dias e noites do Seminário Internacional que assinalaram o Centenário de Maria Bonita ocorrido nas cidades de Paulo Afonso-BA, Piranhas-AL e Canindé do São Francisco–SE, de 23 a 26 de março.

Pesquisadores e escritores das mais diversas partes do Brasil e até do exterior estiveram presentes ao evento sediado na cidade baiana de Paulo Afonso, a exemplo do francês Jack de Witte. Além do curador do Cariri Cangaço Manoel Severo, também participaram como representantes da região caririense o secretário de Cultura de Aurora JC, o memorialista missãovelhense Bosco André e o radialista barrense Sousa Neto.

Num ambiente de muito debate e descontração o centenário de Maria Bonita ficou marcado como um evento histórico, a começar pelo alto nível das discussões apresentadas durante as quatro noites de seminário, assim como pelo número e a qualidade dos palestrantes convidados. Somado a tudo isso o verdadeiro TUR que a organização proporcionou aos participantes como o passeio de barco pelo rio São Francisco até à grota de Angicos, lugar onde Lampião, Maria Bonita e mais nove cangaceiros foram assassinados em 1938.

Como também a visita ao complexo Hidroelétrico da moderna usina de Paulo Afonso, Angiquinhos(antiga usina de Delmiro Gouveia), além da rota do Cangaço às ruínas da Casa de Generosa(famosa pelos bailes perfumados de Lampião), a Casa de Maria Bonita na Malhada da Caiçara, prainha do rio São Francisco, museu do Cangaço em Serra Talhada-PE, dentre outros.

Durante o evento também foi possível conferir um grande leque de apresentações culturais com grupos artísticos dos três estados envolvidos, tendo como pando de fundo o cangaço lampiônico, bem como uma série de visitas a museus, exposições fotográficas, memorial da Chesf, etc. Ciceroneados por Manoel Severo; José Cícero, Bosco André e o pesquisador francês Jack de Witte também visitaram a última Cangaceira viva - Aristéia Soares na cidade de Delmiro Gouveia(antiga vila de Pedra), o último dos irmãos de Maria Bonita na Malhada da Caiçara em Paulo Afonso Ozéas Gomes, assim como o último dos soldados nazarenos vivo - João Gomes de Lira, 97 anos morador de Nazaré do Pico, município de Florestas-PE.

Da cidade do Crato esteve também participando da caravana de pesquisadores caririenses, assim como de todos os seminários e visitações o Dr. Pedro Luiz em companhia da jovem aurorense Mariele Gonçalves. A participação estudantil também foi algo muito marcante no evento, dada a presença de diversos educandários da região.

O seminário foi um projeto desenvolvido pela prefeitura de Paulo Afonso-BA, com a participação das de Piranhas-AL, Canindé de São Francisco-SE, CHESF e Sebrae. Ainda da UNEB e em parceria com a sociedade brasileira de estudo do cangaço(SBEC) e Cariri Cangaço do Brasil, além de outras instituições colaboradoras, sob a coordenação direta do escritor e pesquisador baiano João de Sousa Lima.

“Além de conhecimento estamos por assim dizer, adquirindo muito mais know how para a realização de mais uma edição do Cariri cangaço em nosso município.Também fazendo com a comunidade pesquisadora do Nordeste e do Brasil possam tomar conhecimento da importância do papel desempenhado por Aurora na história do cangaço lampiônico”, disse o secretário aurorense.

Uma grande plêiade de ativistas composta pelos maiores e mais importantes pesquisadores da temática estiveram presentes ao acontecimento. Escritores e estudiosos do cangaço nordestino do naipe de Alcindo Costa de Poço Redondo-SE, Antonio Vilela de Garanhuns-PE, Kiko Monteiro de Lagarto-SE, João de Sousa de Paulo Afonso-BA, Ângelo Osmiro de Fortaleza-CE, Drª Francisquinha(neta de Sabino), Paulo Gastão de Mossoró-RN, Sabino Bassetti de São Paulo, Prof. Pereira de Cajazeiras-PB, Juliana Ischiara de Quixadá-CE, Gilmar Teixeira de Feira de Santana-BA, Antonio Galdino-BA, Carlos Megalle-SP, Josué Macedo-RJ, Edson Barreto, Dr. Leandro Cardoso, Jairo Luiz, Aderbal Nogueira-CE, profª Ana de Petrolina-PE, Wilson Seraine de Teresina-PI, Jack de Witte da França, o deputado alagoano Inácio Loiola, dentre outros.

Sem sombra de dúvidas foi um acontecimento marcante e imperdível para quem almeja aprender sempre mais, acerca do que foi o cangaço e os seus principais desdobramentos dentro do contexto da fenomenologia social e política dos sertões do Nordeste brasileiro, finalizou.

Da Redação:

LEIA MAIS EM:





segunda-feira, 21 de março de 2011

Digamos NÃO à invasaão da Líbia...

Por: José Cícero Mais uma vez o 'império do mal' realiza sob o velho pretexto de defender a democracia do globo um novo atentado contra o direito e a soberania dos povos, quando da invasão consubstanciada pela recente ofensiva aéreo à Líbia.
Espertamente e de forma sorrateira, o governo norte-americano deixou para oficializar o bombardeio justamente quando se encontrava em solo brasileiro. Como se nota utilizando-se da boa imagem pacífica que o Brasil mantém no exterior no sentido de escamotear mais este crime em desfavor da soberania mundial. Razão pela qual, as autoridades do nosso país, assim como as lideranças do movimento social deveriam protestar veementemente. Também não foi à toa que escolheram este momento para iniciar o plano de ataque, ou seja, no instante em que todas as atenções do mundo estão voltadas para o recente desastre ocorrido no Japão.
Não nos enganemos outra vez; neste aspecto, o governo de Barack Obama não difere em quase nada, de todos os demais que já ocuparam a Casa Blanca. Caudatário que é do imperialismo sanguinário e explorador das riquezas do mundo. Cujas bases se assentam na política suja da intromissão ilegítima nos assuntos internos de várias nações do mundo, notadamente aquelas onde mantêm algum tipo de interesse econômico, político ou militar.
De modo que sustentam a maior máquina de guerra da história, contribuindo, ao contrário do que muitos pensam, para a instabilidade da paz em todo o globo, vez que instigam e financiam este expediente, a exemplo de Israel em seu massacre contra os Palestinos. Portanto, com a continuidade desta velha política de intervenção militar, os EUA reproduzem a mesma sistemática beligerante, dantes experimentada no Afeganistão e no Iraque.
De modo que, sob os olhos insensíveis e complacentes das nações democráticas e independentes do planeta e o silêncio cúmplice dos chamados organismos internacionais, tais como OTAN e ONU; o governo norte-americano estar claramente a promover mais uma vez, o pior dos crimes contra a humanidade – o terrorismo de estado.
Como se ver, o velho filme se renova, talvez agora com novos atores. Como igualmente se repete toda a pantomima e o teatro encenado pelo Conselho de Segurança da ONU; que há muito tem se transformado num mero departamento da ingerência legitimadora dos ataques ‘invasionistas’ do pentágono. Contudo, é forçoso ressaltar que a opinião pública internacional já sabe quais são as reais intenções do governo ianque. Que é garantir a qualquer custo, a continuação do privilégio de se apossar da exuberante estrutura petrolífera da Líbia.
Pois agora com a possível queda ou morte de Kadafi, sem a efetiva participação dos norte-americanos, este privilégio ficaria seriamente ameaçado. Assim sendo, não querem(os EUA) correr nenhum risco. Contudo, cumpre destacar que mesmo com os ataques de ontem, que inclusive(para não fugir à regra) fizeram vítimas civis, os EUA não obtiveram unanimidade na resolução da ONU e nem na OTAN. Méritos para a Rússia e a Alemanha(dentre outros) que se abstiveram de dá este apoio formal. Há ainda que se destacar a coragem de Hugo Chávez da Venezuela de denunciar publicamento o ataque e e perspicácia de Fidel.
Ora, por que será que só agora, depois de mais quatro décadas de governo Kadafiano é que os EUA reclamam da ditadura Líbia? É bom que se diga que, assim como ocorreu com Mubarak no Egito e Bem Ali na Tunísia, recentemente depostos por força não dos EUA, mas de levantes populares, todos eles(ditadores) só permaneceram tanto tempo no poder devido ao apoio deliberado do governo norte-americano. Então, é falsa esta suposta preocupação dos ianques com a democracia nestas nações. O que existe mesmo de verdade é um puro interesse de dominação sob o fito no petróleo.
E por falar nisso, é também importante destacar que a Líbia há várias anos conquistara, com o apoio direto da Casa Branca(pasme) uma cadeira de membro permanente no Conselho de Segurança da ONU. Coisa que o Brasil tenta há muito tempo reivindica e não consegue, sobretudo pela falta da anuência americana. Que por sinal, sequer agora na sua passagem pelo Brasil, Barack Obama também não se comprometeu com seu voto de apoio à candidatura do nosso país. Mesmo tendo dito, que o “Lula era o cara”...
Digamos NÃO ao ataque e a invasão da Líbia. Os EUA assim como nenhum outro país do mundo não têm este direito... até porque não constituem nem bom exemplo a ser seguido, quando o que está em jogo é a liberdade e a democracia planetária.Cada nação do planeta precisa ter assegurado o direito de poder resolver seus assuntos internos, assim como de escolher seu próprio futuro.Que a ONU e a OTAN revejam seus princípios e ratifiquem efetivamente o sagrado direito de não-intervenção e de coexistência pacifica dos povos. Mesmo todos nós já sabendo que, pelo poder e pelo petróleo os EUA já venderam sua alma ao diabo.
________
José Cícero
Poeta e Escritor
Secretário de Cultura
Aurora-CE.
LEIA MAIS EM:

sexta-feira, 18 de março de 2011

Cem Anos do Nascimento de Maria Bonita

Por José Cícero

100 amos!
Mas quem diria...
A efeméride da história
agora comemora,
o imorredouro nascimento
da brava e destemida cangaceira.
Filha de sangue e terra
dos sertões longínquos da Bahia.
Notável centenário
da mais bela das guerreiras.
Humanizadora do cangaço.
Fêmea valente e domadora do cangaceiro-rei.
Rosa das caatingas inóspitas.
Linda mulher em tão cactácea ternura.
Feliz aniversário de Maria Déia.
Fiel companheira de Virgulino.
Agora, quem diria...
Os sertões do Nordeste à Bahia
de vez se iluminam
com sua candeia.
Comemoração festiva
de uma saga altiva e alvissareira.
Fazenda Santa Brígida.
Histórica cangaceira:
- Maria Bonita.

..........................
José Cícero -
Secrertário de Cultura
e pesquisador do cangaço
Aurora-CE
LEIA MAIS EM:
www.jcaurora.blogspot.com
www.blogdaaurorajc.blogspor.com
www.prosaeversojc.blogspot.com
www.aurora.ce.gov.br
www.seculteaurora.blogspot.com

quarta-feira, 16 de março de 2011

JAPÃO: Que Deus nos proteja de uma hecatombe mundial...

Triste assistirmos neste instante histórico todo o sofrimento imposto ao Japão pela força da natureza. Uma agrura prolongada deixada como um verdadeiro rastro de destruição de pobreza e de miséria.
Curioso saber que se trata, justamente, de uma nação que se constituía (nada mais nada menos) como a terceira maior e mais próspera economia do planeta. Tendo que conviver agora, mesmo que temporariamente, com a fome, a sede e a necessidade de tudo o mais que é básico para a vida. Muitas das coisas consideradas simplórias pelos que, montados sobre seu império, pensavam que o dinheiro poderia tudo.
É triste e penoso olhar o Japão arrasado que esta, em meio aos escombros que lhe restou da ignominiosa tragédia sísmica e do Tsunami. Uma prova de que nenhum país do mundo pode ser considerado rico e potente o suficiente, quando se trata das coisas de Deus, expressas na força e na beleza da natureza, que uma vez ferida e ultrajada através dos tempos, também se volta e também se vinga dos seus algozes. E os seus algozes é a humanidade inteira. Uma prova inconteste de que nenhuma nação do globo poderá desafiar impunemente( e por tanto tempo) a biodiversidade do planeta.
Que a civilização planetária, possa quem sabe agora, aprender um pouco mais diante da resposta feroz da natureza. Pois ela está começando a cobrar seus honorários ecológicos de todos os que quase exauriram tudo dela ante a fome de consumo e desperdício.
O desastre natural que atingiu o Japão, não pode ser considerado como um fato isolado. Toda a população da Terra começa a ser refém da própria maldade que dispensara por séculos a fauna e a flora da biosfera. Além das grandes intervenções desenfreadas promovidas em sua crosta na exploração dos seus recursos naturais e outras ações poluidoras sem precedentes.
Foi tão grave as ocorrências do Japão que a própria crosta japonesa afundara cerca de 66 cm. Um abalo tão forte que provocou mudança de alguns graus até mesmo no eixo da Terra. Ninguém até agora saberá ao certo, quais as reais conseqüências de todas estas mudanças na geologia planetária.
E não se trata apenas da destruição material. Agora o desastre japonês começa a preocupar o resto do mundo, com a possibilidade de algo muito mais deletério para a vida humana: Um desastre nuclear, ocasionado pelo vazamento de material radioativo provenientes das usinas atômica locais que também foram seriamente afetadas pelos abalos e as ondas gigantes.
Que mais esta tragédia natural possa(quem sabe) pôr um fim definitivo à arrogância, o orgulho e a intolerância dos que, movidos pela força do poder e do dinheiro, sempre se acharam dono de tudo... Brincaram de Deus, fizeram os pequenos de escravos e provocaram danos irreversíveis aos ecossistemas naturais da Terra.
Que o temor de hoje, possa se transformar em um novo paradigma de convivência harmoniosas com o planeta. E assim, possamos renovar nossas esperanças na construção coletiva de um futuro melhor e holisticamente diferente para todos os povos. Quando não mais exista nenhum tipo de barreira de qualquer fronteira ao consenso e ao diálogo.
Que Deus ajude a nação japonesa e nos proteja de uma tragédia mundial.
....................
José Cícero
Prof. de Biologia
Secretário de Cultura
Aurora-CE.
LEIA MAIS EM:
http://www.blogdaaurorajc.blogspot.com/
http://www.seculteaurora.blogspot.com/
http://www.prosaeversojc.blogspot.com/
http://www.jcaurora.blogspot.com/
http://www.aurora.ce.gov.br/
Foto: da Internet

domingo, 13 de março de 2011

Que a catástrofe do Japão nos sirva de exemplo...

Para os que sempre acharam que a iminência de um caos ambiental não passava de agouros ou fatalismo dos chamados ecochatos. Agora já começam a repensar seus conceitos e rever seus posicionamento mesquinhos em relação a tudo o que diz respeito à natureza. Posto que agora estão sendo literalmente obrigados pelas forças das circunstâncias a pensar um pouco diferente. A sentir que nem tudo na vida gira em torno do poder e do dinheiro. Uma nova realidade planetária está gritando em seus 'ouvidos de mercadores', em cujo contexto, ora se desenha diante dos seus olhos, todo o panorama das mudanças climáticas que se avizinham.
Desde então, ninguém poderá ser tão insensível ao ponto de desconsiderar as trágicas e sucessivas ondas de ocorrências naturais... Fenômenos ambientais de magnitudes das mais destrutivas e mortíferas. Uma série de catástrofes impiedosas que vêm solapando populações inteiras pelas mais diversas partes do planeta.
De modo que, não será preciso sermos especialistas para perceber que tal realidade de fenômenos naturais a acontecer pelo globo tem muito a ver com o tipo de tratamento que temos dispensado a mãe natureza há séculos.
E, mais: os intervalos cada vez mais curtos entre um acontecimento e outro nos força a pensar num futuro ainda mais dramático. Uma evidência de que algo está descontrolado no que tange a velha dinâmica ambiental da Terra. Resultante das nossas mais absurdas e mirabolantes atividades antrópicas. Que inclusive, a cada ano que passa se acentuam ainda mais...
E não se diga que estas observações preocupantes são coisas novas. Posto que isso não é verdade. Há muito que especialistas da ecologia e outras notórias figuras humanas de visão aguçadas clamam por mudanças no tocante a maneira com que a humanidade tem se comportado em relação a natureza e os recursos naturais.
Infelizmente, até mesmos cientistas há muito havia se posicionado de forma renitente quanto a este temática. Os políticos asim como os grandes industriais do mundo, desde o princípio da revolução industrial também não têm dedicado a atenção necessária que o problema requer. O resultado, como se percebe não poderia ser outro; senão o da iminência de um caos anunciado. Ainda assim, há que se notar um estado de completa leniência... Como se o problema não fosse com 'eles'. Um equívoco que não tem preço, pois dele dependerá a vida de todas as espécies biológicas.
O colapso dos recursos ambientais, assim como a situação de caráter catastrófico nunca foi tão grave e provável como agora. E a humanidade não pode esperar pelo pior. É preciso que a inteligência humana seja utilizada desde já, em favor da vida, bem como em defesa do planeta e na preservação da natureza.
O terremoto e o Tsunami recentemente ocorridos no Japão não constituem um fato isolado, como nos querem fazer crer algumas dos chamados experts no assunto e os grandes líderes mundiais. Simplesmente, porque isso não é verdade. Eles mentem na esperança de manter o status quo de grandes e implacáveis exploradores dos recursos naturais do planeta.
Pois são eles os verdadeiros responsáveis pela situação calamitosa do meio ambiente terrestre. São eles os grandes poluidores da Terra, os maiores degradadores dos ecossistemas.
É curioso que foi justamente o Japão que, ao lado dos EUA, por reiteradas vezes, se recusou terminantemente a assinar os acordos internacionais, a exemplo do protocolo de Kioto, que visavam diminuir os atuais níveis de emissões de gases poluentes na atmosfera.
A lembrança do Furacão Catrina em Nova Orleans ainda não saira da mente dos norte-americanos e agora, o que ocorrera no Japão deve servir com alerta para todas as nações do mundo, notadamente aquelas que se autodenominavam proprietárias das riquezas ambientais do globo.
É preciso saber que a Terra é a única morada que temos. Que a natureza é uma só. E que para tanto, não existe fronteira. Ou o mundo se une para defendê-la, enquanto há tempo. Ou mesmo separados por nossas absurdas ideologias e interesses mesquinhos, juntos haveremos de sucumbir. Do contrário, cabe a pergunta: afinal de contas, que tipo de planeta haveremos de deixar para à posteridade, assim como para nossos filhos e netos?
A defesa do meio ambiente e dos recursos naturais precisa virar com urgência, uma prioridade mundial. A pauta número um de todas as agendas das nações da Terra. Do contrário, seremos fatalmente engolidos pelos efeitos da nossa própria ignorância, prepotência e arrogância.
Quem sabe, seremos forçados a conhecer e vivenciar tragicamente o mesmo destino, o mesmo fim que um dia tiveram os dinossauros a cerca de 65 milhões de anos... A situação por que passa o planeta é muito mais grave do que podemos imaginar. Em breve o mundo irá conhecer as primeiras levas de milhares de refugiados ecológicos. Um fato nunca dantes experimentado em toda a história humana. Países inteiros desaparecerão engolidos pelos oceanos em face dos efeitos provocados pelo aquecimento global. As chamadas nações insulares da terra serão as primeiras vítimas do mal que os grandes fizeram contra a natureza. Os povos dos países-ilhas principalmente da Polinésia, a exemplo de Tuvalu, Maldivas, Ilhas Fiji, Kiribati e muitos outros como Granadas no Caribe já estão se preparando para o pior. A evacuação em massa será a única saída possível para estas nações que quase nada fizeram de ruim para a natureza. No entanto, estão sendo obrigadas a pagar o maior preço.
Muitas destas nações já estão vivenciando o principio do fim. Já provam do sabor amargo que tem o caos. O mar já avançou consideravelmente sobre suas terras férteis. As águas salgadas já poluem seus lençóis freáticos, comprometendo suas poucas fontes de água doce. Sua flora e sua fauna já começam a sucumbir diante da saturação do sal no solo. A agricultura começa a se tornar uma prática impossível. A situação é insustentável.
Contudo, a mídia mundial sustentada que é pelos poderosos tenta esconder de todos nós esta verdade deveras inconveniente. Como se nada de grave estivesse a acontecer com estes povos.
Ou mudamos agora sem demora, ou a vida se tornará de vez inviável no planeta. O mundo precisa de um novo paradigma. De uma nova forma de convivência holística, harmoniosa e respeitosa baseada essencialmente no princípio da tolerância, da coexistência pacífica entre os povos e da sustentabilidade ambiental.
Ou mudamos para melhor ou avançaremos para o fim. Daqui a pouco tudo isso será um caminho sem volta. Visto que já estamos adentramos a passos largos o ponto limite desta caminhada destrutiva e calamitosa. A hora é já.
Que as catástrofes naturais do Japão nos sirvam de exemplo, uma vez que tantos outras ao longo da história recente, ao que parece nada valeram.
>>>>>>>
(*) Por: José Cícero
Prof. de Biologia
Secretário de Cultura
Aurora-CE.
Foto: Da Internet
LEIA MAIS EM
www.jcaurora.blogspot.com
www.seculteaurora.blogspot.com
www.prosaeversojc.blogspot.com
www.aurora.ce.gov.br
www.blogdaaurorajc.blogspot.com

quarta-feira, 9 de março de 2011

AURORA: Secretaria de Cultura realiza apuração dos votos para a escolha dos ganhadores do concurso de Blocos





Imagens da solenidade de Apuração na quadra Poliesportiva do Araçá e no largo da Boa Vista
Após 4 noites de muita festa o município de Aurora conheceu na tarde desta quarta-feira(9) os três blocos vencedores do Carnaval 2011.
A constatação foi unânime. Aurora realizou nos últimos quatro dias o maior carnaval da sua história. E de quebra, um dos mais animados e envolventes do interior caririense. Sob a designação de 'Aurora Folia', a festa momina do município contou este ano com a participação de doze atrações musicais, incluindo do carnaval baiano e valores locais.
De maneira que os talentos da terra também tiveram seu espaço assegurado no palco da festa e no corredor da folia, a exemplo da banda local Os Garotos do Forró elétrico que fizeram bonito na segunda noite de carnaval. As atrações baianas ficaram por conta de Pinote e Vânio Bahia. Além da agradável performace das bandas Sorriso Novo, Sensasamba, Chave de Ouro, Pagodão S/A, Bem Querer, Zunzueira, Skema, Kotitel elétrico e Arreio de Ouro.
O novo espaço onde aconteceu o AuroraFolia no largo da rua Boa Vista no centro comercial da cidade também contribui para o sucesso do evento. A realização do concurso de blocos conferiu um colorido especial ao acontecimento. Algo que ajudou a fazer do carnaval aurorense como um dos mais participativos e alegres de toda região, segundo afirmou o secretário de Cultura José Cícero. “ O Aurora Folia já se constitui em definitivo como uma verdadeira festa do povo. Uma referência festiva para todo o nosso Cariri”, disse.
Um total de seis blocos carnavalescos participaram da competição. Sendo que logo na primeira noite, foi possível notar que a disputa seria mais acirradas entre três deles: Rebolation(campeão de 2010), o novato Lobo Mau e o Tchê, Tchê, Tchê( terceiro colocado no ano passado). Os blocos que se ausentaram da folia, terminaram sendo penalizados pelo júri e pela organização do evento, uma vez que não atenderam exigências básicas do regulamento. Dentre eles o Pankadão, Auropirados e Trutas Folia.
Vários outros pequenos blocos independentes também se fizeram presentes durante as quatro noites do carnaval aurorense. É possível afirmar que o carnaval de Aurora também aqueceu a economia local, em especial pelo números de treiler e barracas montadas no entorno da festa e pelo grande número de visitantes que compareceu no decorrer das quatro noites de folia.
Cerca de 13 mil reais foram disponibilizados pela prefeitura para a premiação e Bônus ofertados aos blocos devidamente inscritos junto a Seculte e que cumpriram todos os itens do regulamento.
Ainda, foram escolhidos o Rei Momo e a rainha do Aurora Folia 2011, cujo desfile aconteceu na noite de terça-feira chamando a atenção de todos os foliões presentes na passarela. Foi uma apresentação cheia de glamour e descontração.
Apuração e abertura dos envelopes:
Na tarde desta quarta-feita(9) a secrertaria de Cultura realizou nas dependências da quadra Poliesportiva do Araçá a solenidade oficial de apuração dos votos para a escolha dos vencedores.
A solenidade contou com o discurso de abertura do prefeito Adailton Macedo que ressaltou o caráter participativo da festa, assim como o clima de paz e harmonia como tudo ocorreu durante as quatro noites de festa. Por fim agradeceu a todos os blocos e a equipe de organização da Seculte, bem como aos agentes de segurança do seu município que atuaram de maneira primorosa durante todo o evento, notadamente a PM, o pró-cidadania, Demutran, Corpo de Bombeiros, Conselho Tutetal.
Vários profissionais disponibilizados pela Secretaria de Saúde também tiveram um papel fundamental durante o Aurora Folia. Além de ambulãncia de plantão a pasta também reforçou a campanha contra DSTs e o dengue, como também distribuição panfletos e preservativos aos foliões.
A mesa de apuração foi presidida pelo contador Raimundo Camillo que às 14:40h procedeu a abertura dos cincos envelopes contendo os votos dos jurados. A quadra ficou literalmente lotadas pela população e integrantes dos blocos participantes.
Quando finalmente os presentes puderam conhecer os vencedores do Aurora Folia 2011:
A saber: 1º lugar – Lobo Mau com 336 votos.
Seguido do 2º colocado, o Rebolation com um total de 328 sufrágios e o terceiro colocado, o Tchê, Tchê, Tchê que obteve 305 votos
Rainha eleita: Edilânia Fernandes(Galega) do Lobo Mau bi-campeã.
Rei Momo:Pirritete do Rebolation..(ver abaixo a lista completa da votação).
Os ganhadores logo após o encerramento da apuração saíram em passeata pelas ruas da cidade. A comemoração pela vitória está sendo organizada pelos blocos. Alguns já começaram a comemorar após o anúncio do resultado oficial.
O Aurora Folia mais uma vez repercutiu positivamente por toda a região. Muitos foliões de diversas cidades caririenses estiveram presentes nos quatros dias de festa do carnaval aurorense.
..........................
Jurados(as) que atuaram no Aurora Folia 2011:
1- Rosana Dias Cândido de Melo( Funcionária Pública)
2- Damião Tavares da Cruz(Maestro e professor de música)
3- Renato de Brito Grangeiro(Redator do Aqui Conectados)
4- José Renê Rodrigues de Moraes(Ator e contador de estórias)
5- José Lary Tavares(Técnico de som e empresário da área de eventos)
Presidente da mesa apuradora: Raimundo Camillo Domingos Gomes(Contabilista).
Da Redação:
LEIA MAIS EM:

Google+ Followers