quinta-feira, 24 de fevereiro de 2011

AURORA: Vazamento de tubulação de água da Cagece começa a danificar rua do bairro Araçá


Um buraco aparentemente simples provocado pelo vazamento da tubulação da rede de água da CAGECE vem causando transtornos aos moradores da rua Cícero José do Nascimento no bairro Araçá. Localizado por trás do fórum judiciário num local de grande fluxo de veículos e de pedestres, o vazamento só cessa nos dias que falta água nas torneiras.
Contudo, o problema não se resumo apenas ao vazamento que, por sua vez, se constitui com um grande desperdício, mas soma-se a isso, os estragos que vêm provocando no calçamento da rua, desde o local até a esquina de acesso a rua Da Cerâmico(Nereu Gonçalves). Uma vez que com a água escorrendo a céu aberto, o tráfego de veículos, inclusive pesados, vem danificando a pavimentação daquela artéria.
De modo que em vários pontos o calçamento está afundando e o cimento que adere os paralelepípedos está sendo destruído. Do lado esquerdo da mesma rua é ainda possível se verificar o esgoto escorrendo. O correto seria que estivesse ligado a tubulação interna daredede esgoto.
É notória portanto, a falta de fiscalização para com esta problemática. Esta incumbência teria que ser prioritariamente da Cagece, uma vez que a população paga pelos serviços de água e de esgoto. Nos dias de chuva o problema se agrava ainda mais.
O escritório do órgão local até o momento não tomou nenhuma providência. Mesmo o município dispondo de um açude considerável em volume de água com o Cachoeira a cidade tem ainda, vez por outra, de enfrentar além de repetitivos vazamentos, a falta do precioso líquido.
Os consumidores, notadamente do Araçá vêm pagando, uma taxa de esgoto das mais exorbitantes, isto é, em 100% do consumo relacionado a água. Portanto, exigem providências imediatas.
Como se não bastasse, é também comum em diversas ruas a existências de esgotos domiciliares escorrendo sobre o leito do calçamento. “Se estamos pagando a taxa de esgoto, não podemos aceitar como natural que os esgotos continuem escorrendo a céu aberto nas nossas portas. Até porque também constitui um problema de saúde pública, além de enfeiá-las com o lamaçal e fedentina."
Como se trata de uma concessão pública, os serviços de águas e esgoto, explorados pela CAGECE, precisam ser fiscalizados e reivindicados no sentido de que o órgão responsável possa melhorar o seu trabalho em prol da saúde e do bem-estar de toda a população.
Sem esquecer que água é um bem social de modo que sua exploração precisa ser melhor disciplinada com um serviço essencial para a sociedade.
Num momento crucial por que passa a humanidade com relação as questões ambientais e, sobretudo no tange a àgua, Aurora tem que dá um bom exemplo. Por coseguinte, não disperdiçando tanta água, justamente pela Cagece.
Da Redação:
LEIA MAIS EM:

domingo, 20 de fevereiro de 2011

A arte circense e o saudoso Palhaço Fuxico d'Aurora

Por José CíceroAinda hoje, vez por outra se ouve falar com um imenso sentimento de saudade toda a beleza que era os circos mambembes do nosso interior. Dos seus espetáculos noturnos e das matinês de domingo. Dos títulos chamativos, alguns inusitados estampados nas suas fachadas de flandres, madeira e de zinco. Das suas tragédias e dos seus verdadeiros dramas humanos.
Histórias e estórias muitas delas protagonizadas e vividas arduamente com sangue, suor e lágrimas dos seus artistas e coadjuvantes. Heróis antigos que agora estão a encenar no seu colorido mais lúgubre e forte a chamada memória do esquecimento. Romances fabulosos, amores fantásticos e(até) crimes horrendos. Grandes fantasias que ainda hoje nos enchem recordações, deslumbres imaginativos e outros sentimentos mais sublimes.
Há quem lembre dos circos ainda agora com lágrimas nos olhos. Como inclusive, há quem nos fale destes acontecimentos com o mesmo encantamento e sensação de uma vida inteira passada em seus picadeiros.
Há quem o sinta com a mesma intensidade de quem o viveu o tempo todo como se fosse o próprio interior da sua casa. Ou ainda, como quem relata pormenores íntimos da sua própria família numa odisséia artística da vida desafiando a sorte e/ou a própria morte.
Enfim, todos aqueles que vivenciaram a vida circense como uma verdadeira profissão de fé, dedicando parte importante da sua juventude a esta causa quase impossível de alegrar e divertir populações inteiras do interior nordestino.
Há quem recorde com o peito carregado de emoção, velhas passagens vividas sob aquelas empanadas cheias de furos e desbotadas pelo anos de estrada. Ou menos nos de pano de roda, descrição de cenas inteiras dos seus teatros: Romeu e Julieta, Lampião e Maria Bonita, a louca do Jardim, Fogo e Brasa, dentre outras encenações mirabolantes... De forma que o circo do passado de algum modo quase inexplicável, ainda continua vivo na memória afetiva de muitos. Uma pena que na prática esteja quase desaparecido. Algo difícil de ver agora pelo nosso interior. Uma arte que não consegue mais resistir por mais tempo ao fantasma da tecnologia e, que por isso mesmo, neste instante agoniza nos seus derradeiros estertores. Há, por assim dizer, um silêncio cúmplice dos grandes agentes culturais...
O circo está de fato morrendo no mais profundo e vergonhoso processo de extinção total. O verdadeiro circo, como tal conhecemos no passado agora faz parte da história. Como sendo mais uma vítima da modernidade, antes capitaneada pela popularização da TV e agora, por outras invenções tecnológicas, em especial pela chamada rede mundial de computadores(Leia-se Internet), que aliás conseguiu afetar até mesmo o cinema.
Porém, em se tratando de relembranças circenses do nosso interior é quase impossível não recordar os artistas genuinamente aurorenses que se pontificaram nesta área. Basta dizer que algumas famílias locais ou montaram seu próprio circo ou tiveram membros que atuarem por anos a fio fazendo deste meio uma profissão. Dentre as quais podemos destacar a família “Santô” e a dos irmãos: Enoque pintor e o famoso palhaço Fuxico.”
Com o seu pequeno circo o palhaço Fuxico ao lado do velho Enoque, seu irmão, que, inclusive atuava como mestre de cena, juntamente com todos os seus familiares rodaram o Nordeste de uma ponta a outra e parte da região Norte do país. De modo que as história e estória contadas(um dia a este articulista) pelo inesquecível Enoque(falecido em meados dos anos 80) dariam um bom livro. Diria que quanto ao palhaço Fuxico, este também compõe uma história à parte quando o assunto é circo, vez que foi o pioneiro. Ficando conhecido por toda região, não somente por suas interessantes atuações no picadeiro, assim como por suas proezas a frente do seu circo e de toda sua grei de artistas. Como se cumprissem os caprichos do destino os decanos desta família circense nasceram e viveram praticamente, como se diz, sob a lona.
O velho circo do Fuxico sobreviveu até o início dos anos 80 quando o eterno palhaço foi covardemente assassinado no seu próprio palco por um soldado embriagado e à paisana no município pernambucano de 'Sítio do Moreiras'. Foi um crime impune como tantos outros...
Dos três irmãos que integravam o cerne do velho circo fuxiquense, apenas a dançarina e violonista ‘Lurdes Bom-conselho’ ainda vive. Depois de vagar sem rumo pelo mundo como alcoolatra esquecida da cabeça, encontra-se recolhida hoje num abrigo para idosos na cidade de Milagres, aos 89 anos. Logo após ter sido um dia encontrada quase morta desmaiada nas ruas da cidade milagrense. (Ver reportagem completa na Revista Aurora em sua edição de 2009).______________
José Cícero
Secretário de Cultura
Aurora-CE.
LEIA MAIS EM:
www.jcaurora.blogspot.com
www.presaeversolc.blogspot.com
www.aurora.ce.gov.br
www.blogdaaurorajc.blogspto.com
www.seculteaurora.blogspot.com
N.E> Comente nossas postagens.

sexta-feira, 18 de fevereiro de 2011

Manoel Correia do Tipi: Um matuto de visão, rico e pioneiro

HISTÓRIAS E ESTÓRIAS QUE OUVI FALAR...

Por José Cícero

Num tempo em que transmissão radiofônica e energia elétrica não passavam de estória de trancoso ele já possuía seu rádio, o pioneiro de Aurora e uns dos primeiros do Cariri. Ele já ouvia a rádio Nacional e a estréia da Voz do Brasil, bem como do noticiário da BBC de Londres para os países de língua portuguesa.
Todavia, para alimentar seu aparelho e iluminar a sua residência teve que adquirir um pequeno gerador movido a querosene.Quando nos sertões quase ninguém sabia de fato o que era um automóvel ele já possuía o seu – Um Ford encapotado ano 1921. Uma maravilha da tecnologia para os padrões da época. E como não havia estrada para seu veículo teve que abri-la por conta própria. Numa picada dentro da mata de quase 6 km. Uma estrada ligando sua fazenda até a principal, isto é, a rodovia carroçável, hoje denominada de BR-116 próxima a fronteira com a Paraíba.
Era um homem ousado, quase sem nenhuma instrução, mas de uma visão bastante aguçada para um tempo em que, muitas vezes, qualquer inovação científica e tecnológica era tida como obra do ‘demo’.Seu nome: Manoel Correia do Tipi. Um homem de ‘recurso’ como ainda hoje o dizem por estas bandas. Proprietário de muitas terras e um sem-número de cabeças de gado. Dono de engenho, produtor de algodão e criador dos melhores cavalos de campo de toda região, cuja fama conseguiu chegar longe. Muito além das fronteiras de Aurora e do Cariri.
Quarteirões inteiros de casas e prédios em Cajazeiras - PB pertenciam a Manoel Raimundo da Aurora. Muitos deles em espaços nobres, como o que agora pertence ao renomado empresário José Cavalcanti Primo. Sua propriedade do Tipi totalizava 500 braças de largura com uma légua e meia de fundo. Quase tudo ao seu redor era sinônimo de fartura.
Era quase impossível saber-se a quantidade exata de gado que ele possuía. Conta-se inclusive, que um certo vaqueiro saindo de Aurora para buscar animais perdidos pela caatinga, tenha avistado gado com a marca(ferro) de Manoel Correia até atingir os limites da serra da Várzea Grande já nos limites aurorenses.Naqueles anos praticamente não havia cercas entre as propriedades. Tudo naquele tempo era como se fosse uma “manga só”.
Tinha também suas manias. Foi um apostador contumaz do jogo do bicho. Recebendo por conta disso em Cajazeiras, a alcunha de “Mané Piru”. Também pelo fato de ter “quebrado” por três vezes o cambista, ou seja, o dono do jogo na cidade paraibana, sempre apostando por anos a fio no piru.
Possuía 25 cavalos de campo, puro-sangue escolhidos, que ele tratava como verdadeiras relíquias. Todos chamados carinhosamente pelo nome: Relâmpago, Planeta, Facão sem cabo, Ventania, Juriti, Xexéu, Luzitão, Piaba, dentre outros.
O cavalo Relâmpago, por exemplo, montado por um empregado de confiança: Mané Pedro das Braúnas, todo final de tarde tirava num só galope em uma hora e meia do Tipi à Cajazeiras. Ocasião em que eram feitas suas apostas diárias no jogo do bicho, que, aliás, se encerravam às 18 h. Contam que, mesmo saindo nunca antes das quatro horas da tarde, Manoel Correia nunca ficou sem fazer uma aposta.
A grandiosidade da sua produção agrícola também o fez famoso por todos os quadrantes do Ceará e da Paraíba. Quer seja na plantação de milho, cana de açúcar, algodão e feijão como na produção de rapadura, queijo, leite e no criatório de gado bovino.
Certa feita, num dos seus passeios matinais o seu automóvel faltou freio e mergulhara dentro do açude. Sendo preciso o auxilio providencial da junta de bois que foi deslocada do engenho para tirá-lo do manancial.
Mineiro, Ramalhete, Bandeirante, Moreno e Luzitão eram alguns dos nomes dos seus famosos bois de força que trabalhavam no bangüê.Um fato curioso está relacionado a tais bois e diz o seguinte: de tão acostumados com a lida diária, a primeira junta de bois(quatro animais) que pegava no eito do engenho às 2h da manhã, quando os primeiro raios de sol começavam a surgir no horizonte por volta das 5 h, eles paravam abruptamente. Sem nenhuma explicação. Não trabalhavam mais um só minuto. Ficavam como que acuados por algum motivo. Esperando que lhes tirassem a canga do pescoço.
Ainda não se sabe ainda hoje ao certo como aqueles animais do Tipi conseguiam precisar com tamanha exatidão o horário final da sua labuta. Pois até mesmo em tempos de chuva, eles não erravam nunca...
No cavalo mais formoso e mais baixeiro que já se viu passar pelas terras aurorenses, apelidado de Relâmpago, o velho Manoel Correia ia todos os domingos de manhazinhas assistir na cidade a missa na matriz de Aurora oficiada pelo vigário, padre Vicente Augusto Bezerra. Curiosamente toda aquela riqueza não permaneceu com ele até seus últimos dias.
Mais uma história que escrevo, porque ouvir falar...
..................
(*) José Cícero
Secretário de Cultura
de Aurora-CE.
In Histórias que ouvi contar(Inédito-2011)
Foto ilustrativa - Sr. Dorgival Neto de Antonio Correia
LEIA TAMBÉM:
http://www.jcaurora.blogspot.com/
http://www.seculteaurora.blogspot.com/
http://www.aurora.ce.gov.br/
http://www.seculteaurora.blogspot.com/
http://www.prosaeversojc.blogspot.com/
N.R> Comente nestes Blogs nossas postagens. Sua Opinião será muito bem-vinda.

sexta-feira, 11 de fevereiro de 2011

Aurora Folia 2011: Encerradas as inscrições para o concurso de Blocos

Secretaria de Cultura de AURORA já ultima os preparativos com vistas a realização do maior e mais animado carnaval de rua da sua história.
A secretaria de Cultura do município encerrou na ultima sexta-feira as inscrições com vistas a disputa de blocos carnavalescos durante o Aurora Folia 2011. Segundo informou o secretário da pasta, um total de seis agremiações mominas deverão estar participando do carnaval aurorense.
São eles: Lobo Mau, Pankadão( 2º colocado ano passado), Auropirados, Tchê, Tchê, Tchê( 3º lugar em 2010), Os trutas e Rebolation(campeão de 2010).
A Prefeitura por intermédio da sua secretaria de Cultura e Turismo garantirá este ano mais uma premiação recorde para os três blocos classificados, além da escolha do Rei Momo e da Rainha do AuroraFolia 2011. O prefeito Adailton Macedo como forma de contribuir com uma das festas mais tradicionais e populares do seu município decidiu aumentar o valor da premiação para os blocos vencedores deste ano, disse o secretário José Cícero. A saber:
1º lugar – R$ 4.000,00 (quatro mil Reais + troféu)
2º lugar – R$ 3.000,00(três mil Reais + troféu)
3º lugar – R$ 2.000,00(Dois Mil Reais + troféu).
Rei Momo 2011 – R$ 500,00 (quinhentos reais + troféu)
Rainha do Aurora Folia 2011 – R$ 500,00 (quinhentos reais + troféu).
Cumpre ressaltar que todos os blocos inscritos e que efetivamente participarem do evento, também serão bonificados com uma ajuda de custo no valor de Mil Reais(R$ 1.000,00).
Cerca de doze grandes atrações musicais deverão animar, este que promete ser o maior carnaval da história de Aurora, além de um dos mais participativos e animados de toda a região.
Também iremos abrir mais uma vez espaços para os talentos musicais da terra, enfatiza o responsável pela Seculte. “Com exceção de Várzea Alegre, o nosso evento está sendo apontado como o mais tradicional e descontraído do Cariri”, explicou o secretário.
“De modo que a cada ano as nossas responsabilidades só aumentam. Não é tarefa fácil conduzir todo um evento desta envergadura, além da coordenação da disputa e do desfile de blocos de rua. Tudo isso acontece de moro organizado e satisfatório por conta de todo um trabalho de equipe, as condições oferecidas pelo prefeito Adailton, além de outros agentes como a polícia militar, os trabalhos de outras secretarias com a de saúde, Ação social, dentre outros”, finalizou.
Este ano, pela primeira vez, o Carnaval de Aurora deixará de acontecer no largo da Avenida Antonio Ricardo. Será realizado, portanto, no começo da rua Boa Vista no centro comercial da cidade num amplo espaço existente logo a frente do Banco do Brasil. “A idéia da mudança, que por sinal foi bem recebida pela comunidade, nasceu a partir de algumas constatações: primeiro que o evento cresceu tanto ao longo dos últimos dois anos que estava praticamente sendo inviável sua continuação no antigo local. Depois, pela necessidade de não interrompimento do trânsito que agora está todo organizado/sinalizado, inclusive com semáforos."
"A amplitude do novo local agora totalmente asfaltado, além de garantir melhor comodidade para o público folião, também permitirá um melhor fluxo de pessoas, com espaços de sobras para barracas, estacionamento e vias de acesso mais fácil para as bandas, os blocos e os transeuntes de um modo geral”, enfatizou o chefe da pasta.
Também não podemos esquecer que o novo espaço facilitará e muito, a instalação do palco da festa e todo o trabalho de segurança por parte da PM e dos agentes do pró-cidadania.
Serão quatro noites de AuroraFolia, dias 5,6,7 e 8(sábado, domingo, segunda e terça). Há uma possibilidade de que na sexta-feira, dia 4, possa acontecer o 1º grito do AuroraFolia com a abertura do desfile de blocos pela principais ruas da cidade, puxado pelo trio elétrico. A saída será feita do pátio da Escola Técnica no bairro Araçá com destino ao palco da festa no centro da cidade conforme informou a secretaria de cultura.
A programação oficial do evento deverá está sendo divulgada ainda esta semana, incluindo os nomes de todas as atrações. Uma reunião da Seculte com todos os presidentes de blocos está prevista para ser realizada no final da próxima semana na sede da secretaria.
A programação completa do AuroraFolia 2011 assim como outras informações pertinentes, bem como o Regulamento do concurso de blocos estarão sendo publicadas para o acesso público no site ofical de Aurora: http://www.aurora.ce.gov.br.ainda/ no blog da Seculte: http://www.seculteaurora.blogspot.com/ e no blog de Aurora: http://www.blogdaaurorajc.blogspot.com/
________
Da Redação doBlog de Aurora e da Seculte-Aurora.
LEAI MAIS EM:
http://www.aurora.ce.gov.br/
http://www.prosaeversojc.blogspot.com/

segunda-feira, 7 de fevereiro de 2011

Após 58 anos de ausência filha de Aurora retorna para visitar sua terra natal



Minha terra está linda e maravilhosa. Estou encantada com tudo..." Foi com esta afirmação romântica e categórica que mais uma aurorense reviu esta semana a sua cidade natal. Acompanhada do seu esposo, filhos e netos a Sra. 'Mana' esteve visitando nesses últimos dias diversos locais considerados atrativos da terrinha. Em todos eles, a aurorense fez questão de registrar tudo em fotografias.
A ponte do rio Salgado, a biblioteca pública, o antigo prédio da estação ferroviária, a estátua do padre Cícero no centro da praça, a igreja matriz, a capela da mártir Francisca, o casarão do coronel Xavier, a capela da Rosa Mística, a avenida Antonio Ricardo e o açude Cachoeira foram apenas alguns dos locais visitados por essa aurorense há muito radicada em São Paulo.
Natural do bordão de velho esta aurorense partira de Aurora muito cedo, ainda em tenra idade no princípio dos anos cinqüenta, mais precisamente em 1953. A mesma é irmã do Sr. João Galdino residente no Araújo no riacho de Bordão de Velho. Por conta das chuvas, todos eles encontram-se hospedados no hotel Flória no centro da cidade.
Quando em visita a sede da secretaria de Cultura fizeram questão de fotografar boa parte das obras de arte de artistas locais.
Recebidos pelo secretário da pasta José Cícero, na oportuniodade o mesmo ofereceu como lembrança o exemplo de um dos seus livros sobre a história de Aurora, juntamente como o último número da revista Aurora.
Da Redação do Blog da Seculte e da Aurora.
Foto: Seculte-Aurora
___
LEIA MAIS EM:
http://www.jcaurora.blogspot.com/
http://www.aurora.ce.gov.br/
http://www.seculteaurora.blogspot.com/

sábado, 5 de fevereiro de 2011

POLÍTICA: PC do B realiza em Juazeiro o I Fórum Regional de 2011

Por José Cícero



Imagens dos comunistras caririenses durante o fórum regional
Com a participação de pouco mais de 10 municípios caririenses o Comitê Estadual do Partido Comunista do Brasil (PCdoB) promoveu neste último sábado(dia 5) no auditório do Colégio Cirão de Juazeiro do Norte o 1º Fórum Regional de 2011.
Oportunidade em que estiveram reunidas diversas lideranças da região, entre dirigentes de comites municipais, secretários, vereadores e prefeitos eleitos pelo partido nas ultimais eleições nos municípios circunvizinhos.
O Fórum contou com a presença do presidente estadual do PC do B – Carlos Augusto Diógenes(Patinhas), além do anfitrião do evento o vereador juazeirense professor Antonio, bem como do prefeito de Potengi Samuel Carlos, do presidente da Câmara de Altaneira, do ex-prefeito de Assaré Dr. Humberto, dentre outros representantes da militância comunista na região caririense.
A pauta da discussão girou em torno de algumas questões, tais como: a conjuntura político-nacional e internacional e sua relação com o governo Dilma; os preparativos para o processo de conferências municipais, além da perspectiva de reorganização do partido em todo o Cariri. Cada representante se pronunciou no sentido de falar acerca da realidade por que passa o trabalho partidário de cada comitê municipal.
Após o almoço, o presidente estadual do partido participou de uma reunião com os membros do comitê municipal de Juazeiro do Norte e, em seguida retornou para a capital cearense no começo da noite.
Alguns dos municípios representados no fórum do PC do B em Juazeiro do Norte:
Aurora
Altaneira
Assaré
Araripe
Barbalha
Brejo Santo
Barro
Crato
Jucás
Jardim
Missão Velha
Milagres
Potengi.

quarta-feira, 2 de fevereiro de 2011

Chuvas do Cariri se transformam em atrativo na ponte do Salgado na cidade de Aurora

Por José Cícero


Imagens do rio Salgado em Aurora tomando água na terde de quarta-feira, dia 02.0211
AURORA: Além de se constituir como o principal atrativo natural do município o rio Salgado tem funcionado, há muito tempo, também como um verdadeiro termômetro para os moradores ribeirinhos em relação a intensidade das chuvas que vêm banhando a região caririense.
Há por assim dizer, uma verdadeira atração por parte dos moradores, principalmente das cidades banhadas pelo Salgado. No caso de Aurora, onde o rio praticamente divide a cidade ao meio e banha o seu território por quase 42 km o que existem é um momento de absoluta celebração. Uma vez que as suas enchentes conseguem mexer com a vida social das pessoas.
Alguns permanecem tocados pela beleza e os encantos do manancial. Outros se sentem motivados também pelo medo de uma possível repetição das enchentes de 2004 e 2008 quanto famílias inteiras ficaram desabrigadas pela violência das enxurradas.
De modo que toda vez que o manancial começa a tomar novas águas, a população aurorense acorre para a ponte localizada na beira-fresca na entrada da cidade para assistir de perto todo o espetáculo da correnteza do Salgado crescendo e ganhando força, dando os primeiros sinais de uma boa invernada para o Cariri.
Este ano de 2011 não está sendo diferente. Todas as atenções novamente estão voltadas para o rio do Cariri. E nesta quarta-feira(2) assim que correu a notícia de que o rio estava novamente aumentando. Logo uma verdadeira multidão se concentrou sobre a ponte da beira-fresca de Aurora.
As precipitações registradas nos municípios situados um pouco acima começavam a dar o ar da sua graça, ou seja, evidenciando para os aurorenses um pouco daquilo que ocorrera pelo Cariri afora. A certeza de que muita chuva ainda estão por vir. Do Crato a Aurora o rio vem conseguindo mexer com a sensibilidade e a preocupação de toda a sua população que de algum modo vivem as suas margens.
Cumpre destacar que de janeiro até agora o município de Aurora registrou um índice de chuva bastante considerável, levando-se em conta o período anterior. Cerca de 420.3 mm de chuva já banhou o solo de Aurora. Segundo levantamento as chuvas registradas nos distritos foram o seguinte: 345.5 no Tipi e 110,3 em Ingazeiras.
O Cariri:
Segundo balanço da Funceme, a média normal de chuva para a macrorregião do Cariri é de aproximadamente 586 mm, nesse ano, contudo, as médias podem chegar aos 923 mm, ocorrendo um acréscimo de quase 58%.

Chuvas desta quarta-feira, 02 de fevereiro na região:

Lavras da Mangabeira 129.5
Granjeiro - 78.2
Farias Brito - 76.0
Icó 70.0Iguatu - 68.0
Ipaumirim - 68.0
Cedro - 65.0
Aurora - 64.8
Várzea Alegre - 63.8
Cariús - 58.0
(*) Mesmo sem os dados oficiais, há informações de que grandes precipitações aconteceram pela madrugada em Barro e Mauriti. Há ainda previsões meteorológicas de chuvas isoladas para as próximas 48 h em todos os municípios caririenses.
___
J.Cícero
Aurora-CE
LEIA MAIS EM:
Fotos: Jc


















terça-feira, 1 de fevereiro de 2011

Uma Louvação ao Salgado, o rio mais doce do mundo*

O meu imenso rio interior ...
Por José Cícero
Amo este rio, com a mesma intensidade com que cultuo dentro de mim a beleza natural das coisas simples, alimentando o dom de ser feliz e de se acreditar na vida e na natureza como um milagre inigualável de Deus.
Sinto-o pulsando em minhas veias com suas correntezas poderosas e seus ares de gigante.
Sinto-o na boca como fruta doce tirada ali mesmo das árvores sombrosas e frescas adornando suas ribanceiras.
Plena água saciando a sede dos destemidos caminhantes Cariri adentro.
Sangue ancestral que me alimenta a alma assim como impulsiona o gesto e o espírito.
De algum modo estranho, também o tenho em minhas mãos como quem carrega um límpido jarro de água-de-cheiro, a guisa de presente a ser oferecido à celebração dos deuses que habitam suas nascentes.
Como este rio também tenho pressa de viver e conhecer todas as fronteiras do planeta. E diante delas, toda a minha angústia, há muito é este desejo compulsivo de sempre partir e de querer chega. Fluir intermitente de teimoso aventureiro cosmogônico, rasgando fundo com seus dedos e dentes o oco do mundo.
Desejos absurdo e incontido de romper o impossível que me prende a estes rincões solitários dos que foram esquecidos pelo tempo presente e o tempo futuro.
Como este rio, também sinto esta vontade louca de seguir sempre em frente e de quere ser mar. Sentimentos hídricos. Hídricas lágrimas de contentamentos. Caminhos do sem-fim...
Oceanos profundos a se estenderem como um imenso espelho d’água. Lascas incomensuráveis de puro vidro em sua liquidez a se derramar por sobre as fímbrias dos nossos sonhos mais antigos e mais distantes.
Pulsão de quase morte a me consumir por dentro. Visão holística e biodiversa que carrego junto ao peito. Cachoeiras de utopias em suas nebulosas mais fantásticas. Claras águas a se derramarem num turbilhão de ansiedades e fantasias do meu eterno querer: ser pássaros errantes e nos píncaros das montanhas araripenhas me (re)encontrar.
Voar... Voar bem alto por sobre o Nebo da minha própria condição de acreditar nos sonhos que um dia eu tive e não conseguir realizar. Intensos arroubos de jovens ciganos. Moleques circenses nas suas aventuras de viajar.
Sonhos de Ícaro... eterno caminhar por entre as nuvens. Eterno mar nadando por si mesmo tomando banho dentro do rio que amo e que trago comigo desde quando vim ao mundo pela primeira vez.
Este rio interior que tenho no fundo do meu íntimo é todo um sentimento de nunca desistir. Um novo jeito deslumbrado de viver que tenho. Mar imenso a encher meus olhos. Universo aquático de felicidade em que vivo tão sem medo.
Sentimento afirmativo de sempre acreditar na arte do encontro e de estar sempre pronto para recomeçar.
_________
* José Cícero
Sec. de Cultura
Aurora-CE
In Abstrações do Acaso/09
LEIA MAIS EM:
Foto: do Rio Salgado(Ponte-sede) JC


Google+ Followers